Nintendo: 'Não vamos lançar nossos jogos para smartphones'

Por Redação | 29 de Janeiro de 2014 às 12h55
photo_camera Divulgação
Tudo sobre

Nintendo

O jornal japonês Nikkei publicou no início desta semana uma nota dizendo que a Nintendo pode mudar sua estratégia e começar a investir em jogos para tablets e smartphones. A medida seria uma forma da Big N em contornar os prejuízos que tem enfrentado com as vendas fracas de seu console de nova geração, o Wii U.

A notícia animou muita gente. Afinal, imagine poder jogar seus títulos favoritos do Mario no celular? Mas se você era um dos usuários que esperava que isso acontecesse, pode ir esquecendo: o site Engadget publicou um comunicado oficial da gigante japonesa informando que não está nos planos da companhia oferecer qualquer tipo de contéudo, pelo menos aqueles relacionados a jogos, em dispositivos móveis.

"O artigo do jornal Nikkei contém informações feitas previamente por Satoru Iwata [presidente da Nintendo] durante coletivas de imprensas passadas, incluindo declarações sobre a possibilidade do uso de serviços móveis para promover nossos produtos", diz a companhia.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

A empresa completa dizendo: "No entanto, durante esses eventos anteriores, o senhor Iwata também afirmou que a Nintendo não tem intenção de publicar seus produtos em dispositivos móveis e, dessa forma, podemos confimar que não há planos de oferecer mini-games em smartphones".

Apesar de uma confirmação oficial vinda da própria Nintendo, não está completamente descartada a chance da companhia lançar algum conteúdo de suas franquias e serviços para outras plataformas. Um caso parecido foi quando surgiram os primeiros rumores do Nintendo 3DS XL, a versão maior do 3DS clássico. Na época, a empresa negou a produção do console portátil, mas não demorou muito para anunciá-lo oficialmente.

Mal das pernas

Em uma conferência no Japão há alguns dias, Satoru Iwata admitiu que a Nintendo "interpretou mal o mercado" com relação ao Wii U e que precisava encontrar algo para surpreender seus consumidores. "Houve uma mudança no modo como as pessoas usam seu tempo, no seu modo de vida e em quem elas são. Se ficarmos parados, nós vamos ficar ultrapassados", comentou o executivo.

A previsão inicial de vendas do Wii U para o final de seu ano fiscal, em março de 2014, era de 9 milhões de unidades, mas foi reduzida para 2,8 milhões. Para efeito de comparação, a Sony vendeu 4,2 milhões de unidades do PlayStation 4 em apenas dois meses. Já a Microsoft comercializou mais de 3 milhões de unidades do Xbox One desde novembro.

A diminuição, de acordo com o Wall Street Journal, é reflexo de um prejuízo esperado em 35 bilhões de ienes (cerca de R$ 784 bilhões), correspondente à terceira perda consecutiva da empresa, comparada com o lucro de 10 bilhões de ienes previsto em abril do ano passado.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.