Minecraft para o Oculus Rift é cancelado após venda para o Facebook

Por Redação | 26 de Março de 2014 às 11h53

Momentos após o anúncio de que a Oculus VR, fabricante do dispositivo de realidade virtual Oculus Rift, tinha sido comprada pelo Facebook, o criador de Minecraft anunciou o cancelamento da versão do game para o acessório. Em uma mensagem publicada no Twitter, ele revelou estar trabalhando no game mas que a rede social “o assusta”, então, ele estaria interrompendo o desenvolvimento.

Mais tarde, em um post em seu blog oficial, Markus Persson, também conhecido como “Notch”, deu mais detalhes sobre sua decisão. De acordo com ele, tudo se deve ao fato do Facebook não ser uma empresa de entusiastas pela tecnologia, e sim uma companhia que se preocupa apenas com os números e nada mais.

Ele cita o exemplo dos joguinhos para a plataforma, que fizeram grande sucesso por muito tempo, mas acabaram sendo vítimas da inconstância do próprio Facebook. Segundo Persson, a rede social muda suas dinâmicas e conceitos sem nenhum tipo de aviso prévio, de forma a melhor se adequar à própria visão social. Isso, para os desenvolvedores, é algo péssimo e ele teme que o mesmo aconteça agora com a Oculus VR.

Notch continua, afirmando que o Facebook não é uma plataforma estável e que possui razões e funcionamento “pouco claros”. É justamente o histórico de aquisições, mudanças realizadas de repente e lançamentos pouco pensados que faz com que o criador de Minecraft não confie na empresa e, sendo assim, prefira não trabalhar com ela.

O criador, porém, se mostrou um grande entusiasta da tecnologia do Oculus Rift, lembrando que chegou a investir US$ 10 mil no equipamento. Na sequência, porém, ele se disse frustrado com o fato de seu dinheiro ter servido como uma forma de criar valor para uma aquisição pelo Facebook e que, apesar de admirar e respeitar o time de desenvolvedores que trabalha na Oculus VR, prefere se distanciar deles a partir de agora.

As possibilidades sociais também não foram esquecidas por Notch, que diz acreditar nesse tipo de potencial. Mas ele, pessoalmente, não quer saber disso, e prefere trabalhar diretamente com os jogos. Sendo assim, ele já está voltando os olhares para outros dispositivos de realidade virtual existentes por aí, como o Project Morpheus, da Sony, e o aparelho ainda secreto da Valve.

A compra da Oculus VR pelo Facebook foi anunciada nas primeiras horas da noite desta terça (25). O negócio de US$ 2 bilhões foi realizado com a intenção de transformar o Rift em uma plataforma mais social, que permita maior interação entre as pessoas. Os planos para a divisão de games não foram interrompidos e, assim como o Instagram e o WhatsApp, a empresa continuará operando independentemente.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.