Hack do Kinect ajuda mulher debilitada a utilizar o computador e se comunicar

Por Fernanda Morales | 10.09.2012 às 11:29

Há cerca de 12 anos, a mãe do estadunidense Chad Ruble sofreu um derrame cerebral que a levou a desenvolver a afasia, um distúrbio que afeta o processo de linguagem e comunicação do ser humano, mas não sua inteligência. E para ajudá-la a interagir com o computador, Ruble hackeou o Kinect e desenvolveu uma nova interface de comunicação para ela.

A Associação Nacional de Afasia, nos Estados Unidos, afirma que mais de um milhão de norte-americanos que sofrem do distúrbio possuem dificuldade para ler e escrever e Lindy, mãe de Chad Rubler, se enquadra dentro dessa porcentagem, o que a impossibilita de utilizar o teclado do computador.

Interface emoticons hack

O distúrbio da afasia impossibilita muitas pessoas de ler e escrever

De acordo com o CNET, depois de projetar um painel visual de emoticons (feliz, triste, cansado etc), que ainda podem expressar a intensidade do sentimento apenas com mais de um toque sobre o símbolo, Ruble voltou sua atenção para o sistema de reconhecimento de gestos da Microsoft e para a biblioteca OpenNI. Integrados, os sistemas ajudam a rastrear a localização da mão de sua mãe.

Uma seta verde localizada no canto inferior direito é responsável por enviar o e-mail ou mensagem e o 'X' redefine a tela e o texto.

O projeto de Ruble é bem simples mas, por enquanto, sua criação e os equipamentos utilizados ainda estão muito brutos. Porém, o projeto de seu filho fez com que Lindy sorrisse de felicidade na primeira vez que utilizou o sistema para se comunicar novamente.

E segundo o TechCrunch, Chad Ruble afirma que pretende utilizar outras placas e páginas para ampliar as opções de mensagens, sem deixar a interface simples que torna a comunicação por pessoas com o distúrbio mais fácil.

Confira abaixo o vídeo de Lindy utilizando o mecanismo pela primeira vez: