Fundador da Naughty Dog entra para a equipe do Oculus Rift

Por Redação | 10 de Junho de 2014 às 15h55
photo_camera Divulgação

A equipe por trás do Oculus Rift está ganhando novos reforços. O nome da vez é ninguém menos que Jason Rubin, ex-executivo da extinta THQ e um dos fundadodres do estúdio de jogos Naughty Dog, famoso por franquias como Crash Bandicoot e Uncharted.

De acordo com um post no blog oficial da Oculus VR, Rubin será responsável por acompanhar o desenvolvimento de todos os jogos first-party, aqueles produzidos dentro da própria empresa. Isso inclui o conteúdo vindo dos estúdios nas cidades de Seattle, San Francisco, Menlo Park e Irvine, todas nos Estados Unidos. Para celebrar a contratação do executivo, a Oculus está disponibilizando na E3 2014 as demos de alguns jogos com suporte ao headset Oculus Rift, entre eles Eve Valkyrie e Alien Isolation.

"Foram poucos os momentos na minha vida nos quais eu vi algo que iria mudar tudo. A tecnologia inspiradora da Oculus está construindo um caminho para um mundo incrível que minha filha um dia vai considerar normal. Desde o momento que o coloquei [o Oculus Rift], quis ajudar [a Oculus VR] a construir esse futuro", divulgou em nota a companhia.

Rubin fundou a Naughty Dog em 1984 ao lado de Andy Gavin, quando o estúdio ainda se chamava Jam Software – a nova nomenclatura veio cinco anos depois, em 1989. Entre os trabalhos mais notáveis de Rubin na empresa estão Crash Bandicoot e Jak & Daxter. Ele se desligou da corporação em 2004. Em 2012, o executivo foi nomeado presidente da finada THQ, numa manobra para tentar livrar a companhia da falência. Mas os esforços não deram certo e o estúdio foi fechado um ano depois.

Jason Rubin

Jason Rubin, fundador da Naughty Dog, agora faz parte da Oculus VR (Foto: Divulgação)

Além de Rubin, a Oculus VR contratou uma série de profissionais conhecidos da indústria de tecnologia. O primeiro foi John Carmack, um dos funfadores da iD Sofrware e principal responsável pelo jogo Doom, que entrou para a empresa no ano passado. Em seguida, foi a vez dos especialistas em realidade virtual da Valve, Michael Abrash e Atman Binstock, além de David De Martini, ex-executivo da Electronic Arts, que está ajudando a entidade a fazer parcerias com desenvolvedores de vários estúdios.

Falando na Valve, um dos principais nomes responsáveis pelo sucesso da criadora do Steam também está no time da Oculus: Jason Holtman, que atuou por oito anos como chefe de desenvolvimento de negócios na companhia. Outra contratação foi a de Kenneth Scott como diretor de arte de conteúdo first-party da companhia. Antes, Scott já tinha trabalhado na id Software e na 343 Industries, esta responsável pela nova fase de Halo nos consoles Xbox, da Microsoft.

Há ainda Cass Everitt, arquiteto de GPU e engenheiro da nVidia; Brian Hook, criador da API 3Dfx Glide; Paul Pedriana, ex-engenheiro chefe da EA; e Adrian Wong, engenheiro chefe da equipe responsável pelo Google Glass, os óculos de realidade aumentada do Google.

Fora o interesse de profissionais consagrados e experientes em querer trabalhar com a tecnologia presente no Oculus Rift, tantas contratações têm um motivo: o Facebook, que anunciou em março a compra da Oculus VR por US$ 2 bilhões. E não é de se espantar o interesse da rede social mais famosa do mundo em adquirir a Oculus. O Rift começou com um grupo pequeno de desenvolvedores (Palmer Luckey, Brendan Iribe, Michael Antonov e Nate Mitchell) em uma garagem pedindo US$ 250 mil para financiar o desenvolvimento do produto. Mais de 9.500 pessoas ajudaram nas doações e a campanha foi concluída com um total de US$ 2,4 milhões em 2014.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.