Análise: Solução PC gamer AMD Dragon

Por Felipe Santana Felix
photo_camera BRUNO HYPOLITO / CANALTECH

O mercado de vídeo games não vive apenas dos consoles. Hoje existem inúmeras outras plataformas para aproveitar bons jogos, porém, os diversos perfis de gamers existentes têm suas preferências e defendem com unhas, dentes e "fãboyzismo" suas plataformas preferidas que, invariavelmente, envolvem um console da Microsoft ou Sony.

Entretanto todos os gamers reconhecem, sem recalque, que o PC é e sempre será uma das principais plataformas de jogo e independente de seu console, você deve ter um bom computador para rodar os bons jogos que plataformas comerciais como Steam e Origin podem te oferecer – sem falar em inúmeros outros títulos que vão de Shooters a MOBA’s que podem ser baixados na web.

Para suprir essa necessidade, os jogadores geralmente procuram uma máquina que consiga aliar um bom desempenho com um valor acessível. Porém, encontrar uma solução sem ter que comprar peça por peça é algo que poucos conseguem fazer. Pensando nesse detalhe, a AMD e a Dragon criaram uma solução para atender esta demanda.

A proposta das duas empresas é a de um computador acessível com bons componentes que atendam essa necessidade da maioria dos jogadores de PC. Nós avaliamos o desempenho da máquina jogando Bioshock: Infinite, Sleeping Dogs, Dota2 e League of Legends em um ritmo frenético, e ele acabou se saindo muito bem.

Até onde vai o dragão

A Dragon é uma máquina bastante interessante. A combinação de um procesador FX-8350 de 8 núcleos, 8 GB de memória RAM e SSD já garante uma máquina rápida para praticamente qualquer tarefa que o usuário realizar, e a adição de uma Radeon HD 7790 fecha o conjunto para o gamer médio. Considerando o preço de R$ 3000, essa é uma das melhores configurações disponíveis nos dias de hoje, ainda mais por trazer um cooler capaz de aguentar um overclock um pouco mais corajoso – marca registrada da série FX de processadores da empresa.

Um ponto que desagradou foi o gabinete. Embora tenha uma aparência mais séria e passe uma imagem de respeito, os componentes internos aparentam ser bastante frágeis. Ele parece não resistir a trocas frequentes de componentes. O metal que segura a placa-mãe também não transmite confiança, o que é um belo de um ponto negativo, afinal todos são componentes rápidos que geram altos índices de calor. É desconfortante sentir que o gabinete não vai ajudar a refrigerar os componentes de forma apropriada.

Pensando especificamente em games ou tarefas que exijam um poder gráfico maior, a configuração poderia ser ligeiramente diferente, com um processador um pouco mais modesto e uma placa de vídeo mais potente – uma Radeon HD 7870, por exemplo. O processador dificilmente será um problema na maioria dos jogos, de forma que um investimento um pouco maior na GPU traria benefícios consideravelmente superiores para o usuários. Só que, assim, fugiríamos do preço até acessível da Dragon pelo custo-benefício que oferece.

No fim das contas a solução da Dragon computadores em parceria com a AMD é de se levar em consideração na hora da compra. Os poucos aspectos negativos em termos de estrutura do gabinete e desempenho não são grotescos e são eles que acabam possibilitando um valor de máquina competitivo.

Solução: Dragon Computadores

  • Processador AMD: FX 8350
  • Placa mãe: 990fxa-ud5 Gigabyte
  • Placa de vídeo: 7790 1GB Sapphire
  • Fonte: AK750 - 3R System
  • CPU Cooler: Prima Boss Mini - 3R System
  • Gabinete: Matrix - Casemall
  • Valor: R$ 3.000,00

*Análise técnica feita por Pedro Cipoli