Análise: Grand Theft Auto V é tudo o que sonhávamos

Por Felipe Santana Felix

Depois de 5 anos de espera, GTA V foi finalmente lançado e, como todo título da série, tudo é grandioso: é o titulo com maior investimento, maior faturamento na história dos games em 24h e definitivamente um dos maiores mundos do gênero Sandbox.

Com certeza a espera valeu a pena e após horas cometendo delitos, fugindo de traficantes, praticando esporte e falando "uns amor pras gatas", eis o nosso review!

A Brave new world

Indiscutivelmente GTA é um jogo de sucesso. Mesmo aqueles que o odeiam – se isso for possível –, devem admitir que ela é com certeza uma das franquias mais bem sucedidas da história dos vídeo games. Tão bem sucedida que o lançamento de GTA V foi um dos maiores hypes de todos os tempos no universo gamer. Isso aconteceu porque Grand Theft Auto compartilha de um elemento que franquias de sucesso como Pokémon também possuem: o personagem principal. Em todos os jogos dos monstros de bolso, todos os fãs ficam malucos para ver quais serão os novos monstros, principalmente os três iniciais, e essa ânsia, esse desejo é o que torna Pokémon tão esperado, independente de sua qualidade. No game da Rockstar a mesma coisa acontece, mas o grande personagem da franquia é o ambiente, suas possibilidades e suas tensões urbanas. Aliás, Los Santos é a grande obra prima da Rockstar.

Muitas das discussões sobre a cidade tratavam de seu tamanho, mas esse é um dos debates mais superficiais sobre Los Santos. A cidade respira a coisa complexa que chamamos de vida e para cada ação existe uma reação, de verdade. O velho e clássico roubo de veículo agora é contestado por seus donos e a maravilhosa diversão de espancar pedestres também. Os habitantes da fictícia Los Angeles respiram vida e clamam por direitos – e essa é uma das grandes diversões quando se quer apenas desbravar esse bravo mundo que já se encontra todo pré-renderizado.

Seja na versão Xbox360 ou na PS3, os oito gigas de instalação fazem valer a pena todo o tempo de espera. O design de nível é maravilhoso, as estruturas são extremamente detalhadas e por estar tudo pré-renderizado, nada surge a partir de uma névoa aleatória quando se está andando de carro. Se uma montanha é avistada a milhas de distância ela realmente existe no mapa, nem que seja no fim do mundo onde se pula de paraquedas.

Até mesmo atividades simples como paraquedismos e Tenis estão divertidas e funcionais. Claro que estas são algumas atrações leves que Los Santos pode oferecer. Algumas outras que envolvem nudismo e demais conteúdos para maiores de 18 anos não podem ser comentadas, apenas vividas.

Los Santos é uma obra de arte tão magnifica que só falta falar.

Três não é demais

Uma das grandes mudanças neste título é a oportunidade de contar uma história com a presença de três personagens distintos. Michael, Franklin e Trevor possuem personalidades extremamente diferentes, assim como história de vida e objetivos.

Em uma primeira impressão a junção dos três personagens tem uma pegada bem similar a um filme de velhos super soldados aposentados que voltaram à ativa – RED – mas o desenvolvimento da história consegue envolver tão profundamente qualquer jogador que lembrar de uma referência comparativa é a última coisa que alguém pode pensar em fazer.

Este é o primeiro GTA no qual acompanhar a história é extremamente divertido e pode tomar muito mais tempo do que rodar aleatoriamente pela cidade. A dinâmica que altera entre os personagens é uma das peças principais para esse desenvolvimento suave do enredo do trio. Cada um dos envolvidos tem estilos muito diferentes entre si, então, quando o problema é Michael ou Franklin basta mudar para Trevor e depois continuar com o Trevor, e continuar com Trevor.

Definitivamente GTA V possui uma das melhores histórias da franquia. São tantos acontecimentos e desfechos malucos que em diversas situações parece que R. R. Martin é um dos roteiristas do game.

Headshot

GTA V é uma obra prima em relação a ambiente e desenvolvimento de enredo. Michael e Trevor são personagens extremamente complexos e maravilhosos, em especial Trevor. O cara é uma das melhores representações do que se fazer em qualquer GTA: ser maluco, explodir coisas e sair pela cidade espalhando a sagrada mensagem da 'zueira'. Com certeza esse maluco vai entrar para a lista de personagens históricos de muitos jogadores que viverem um bom tempo em Los Santos.

Todas as possibilidades extra-jogo, marcas registradas da franquia, estão um pouco mais refinadas que nos títulos anteriores e as relações sociais entre os personagens principais e NPCs estão muito mais marcantes. Parabéns à Rockstar que conseguiu preencher até os personagens menos importantes de Los Santos com uma quantidade absurda de alma. Assim, GTA V tem todos os aspectos que a série já possui, ainda melhores.

A única coisa que a Rockstar não consegue desenvolver de forma tão magistral ainda é a ação. É desapontador ver um jogo tão refinado sem mecânicas mais polidas de combate. A implementação das habilidades especiais dos personagens foi uma boa adição, mas em relação a este critério existem outros jogos que conseguiram melhores resultados, mesmo que tenham sido em detrimento de diversos outros elementos do game como liberdade.

Grand Theft Auto V é um dos melhores títulos da franquia se aproximando muito do histórico GTA San Andreas. Alguns podem achar o título o melhor de todos, outros não, mas independente da opinião, GTA V vale cada minuto de espera, centavos e horas gastas.

Notas:

  • Enredo: 9.0
  • Arte: 9.4
  • Audio: 9.5
  • Jogabilidade: 9.0
  • Conjunto: 9.5
  • Nota Final: 9.2
Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.