Análise: DuckTales Remastered e a beleza dos velhos tempos

Por Felipe Santana Felix

Modas são cíclicas: tudo o que já foi extremamente "pop" pode voltar um dia a ser. E no mercado dos games o grande hype é o retorno de arcades e jogos independentes, ao gosto do grande publico.

Em 1989 a Capcom lançava em parceria com a Disney um dos games mais épicos para Snes. DuckTales foi um dos melhores crossovers entre animação e videogame da geração de ouro dos consoles. É claro que com Keji Inafune e Yoshihiro Sakaguchi, veteranos do Megaman, o título não poderia deixar a desejar.

Agora a Capcom relança o titulo totalmente remasterizado em HD, não só para agradar os jogadores mais nostálgicos como para incentivar os novos gamers a conhecerem títulos épicos de gerações passadas.

Old But Gold!

Falar de remasterizações é ser um pouco saudosista e exigir que nada na mecânica original seja alterada, afinal, remasterizações tem apenas o intuito de deixar o game mais bonito e não de alterar a jogabilidade. Levando isso em conta, a remasterização de DuckTales foi feita com magnífico primor. Tudo o que o game continha continua presente e o que nunca fez parte foi uma bela adição.

Para os novatos, que não manjam dos paranauês do pogobol e da tacada de bengala, um mapa tutorial foi implementado e explica como apertar botões, bater em caixas, baús e bandidos. Além desse mapa inicial, que não estava presente na versão original, um novo mapa final, com modificações incandescentes, deixou o desafio de zerar o game muito mais interessante, agoniante e recompensador. A Interactive também teve a preocupação de deixar a vida do jogo um pouco mais longa com conteúdos que podem ser desbloqueados utilizando a pontuação adquirida in game com diamantes, rubis e moedas.

O único detalhe que com certeza fez falta no game foi um novo boticário para o Tio Patinhas. Utilizando a mesma mecânica empregada para liberar extras outgame, os produtores poderiam ter adicionado novas roupas para nosso querido herói Tio, seria bem divertido batalhar para liberar outras roupas para o personagem.

Salvando moedas

As mecânicas utilizadas na idade do controle lascado continuam extremamente divertidas, não só em Mario, e isso mostra que qualquer título é atemporal em termos de jogabilidade. Assim, mesmo que o visual deixe um pouco a desejar nos games antigos, a diversão nunca terá esse problema.

Felizmente, DuckTales foi remasterizado e o resultado final foi definitivamente deslumbrante. Até mesmo a mescla de cenários 3D com elementos 2D, que costuma ficar estranha, foi muito bem elaborada e polida.

O recado final, principalmente para aqueles que são como o Tio Patinhas e gostam de salvar dinheiro, é que o investimento em relação à diversão, e à zueira, faz com que Ducktales Remastered seja um título que valha o investimento.

Notas:

  • Arte: 8.0
  • Audio: 8.0
  • Jogabilidade: 8.0
  • Conjunto: 8.0
  • Nota Final: 8.0
Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.