Vem aí a bateria capaz de se autodestruir ao entrar em contato com a água

Por Redação | 10 de Agosto de 2016 às 07h17
photo_camera Ashley Christopherson

Presentes nas tramas de ação e suspense envolvendo espiões equipados com tecnologias incríveis, equipamentos como baterias autodestrutivas ainda não fazem parte da vida real, mas isso deverá mudar: pesquisadores da Universidade Estatal de Ciência e Tecnologia de Iowa, nos Estados Unidos, desenvolveram uma gama de produtos elétricos “temporários”, capazes de executar suas funções até que sejam automaticamente destruídos ao serem expostos à luz, calor ou líquidos. E um desses produtos é justamente uma bateria capaz de se desintegrar ao entrar em contato com a água.

Na verdade, baterias autodestrutivas já haviam sido estudadas e até mesmo desenvolvidas anteriormente, mas, até então, todas eram capazes de fornecer uma quantidade muito limitada de energia, além de levar muito tempo para se destruírem. Então Reza Montazami, que faz parte da equipe de cientistas que trabalha no projeto de produtos descartáveis, conseguiu desenvolver o projeto de uma bateria temporária que seria capaz de alimentar uma calculadora de mesa por cerca de 15 minutos, destruindo-se após o uso em um processo que leva cerca de 30 minutos.

A bateria tem capacidade de fornecer cerca de 2,5 volts - o dobro da energia oferecida por outras baterias temporárias previamente desenvolvidas. E sua capacidade de autodestruição é até mil vezes mais rápida do que todas as tecnologias existentes no segmento. Ao entrar em contato com água, a bateria incha e seu invólucro se rasga, promovendo sua dissolução no líquido. Já os componentes não solúveis em água acabam sendo dispersados.

Os resultados do estudo foram devidamente publicados no Journal of Polymer Science e, a partir de agora, os cientistas continuarão aprimorando o projeto da bateria autodestrutiva para, quem sabe, comercializá-la no futuro.

Fonte: Iowa State University