Remidi T8: conheça essa luva inteligente que vai mudar seu jeito de fazer música

Por Redação | 13 de Abril de 2016 às 21h15

O crowdfunding é um dos maiores catalisadores de projetos atualmente. Não é nada difícil se encantar com protótipos ou até mesmo ideias apresentadas em sites de arrecadação como o Kickstarter ou o Indiegogo. Dessa vez, o conceito revolucionário em questão é a Remidi T8: uma luva inteligente que consegue capturar seus movimentos e transformá-los em música. O projeto ainda está aberto para doações e até o momento conseguiu US$ 137.674, atingindo os US$ 130 mil do pedido inicial em março desse ano.

Remidi T8

A Remidi usa oito sensores individualmente programados para que cada um deles possa servir como um instrumento diferente. Assim, quem calça a(s) luva(s) pode fazer uma festa simplesmente batucando alguma superfície com os dedos, ao menos é isso que os vídeos de demonstração tentam dizer.

Parte dos sensores também detecta os movimentos da(s) mão(s) e do(s) braço(s) do usuário, além de conseguir diferenciar a intensidade dessas ações. Bacana não é? Os sensores de movimento ficam localizados na palma da luva e servem para alterar outros aspectos da música como o tempo, reverberação, duração e até mesmo o tom.

Remidi T8

Os movimentos capturados são processados pelo controlador MIDI que fica no punho de quem usa a Remidi, uma antena bluetooth se encarrega de enviar os dados processados para um aparelho com o software da empresa, onde o usuário tem mais opções de remixes e configurações.

De acordo com os idealizadores do projeto, o software e a própria luva serão compatíveis com os mais comuns programas de produção musical, e aplicativos como o Ableton, FL Studio, Garageband e o Logic Pro estão incluídos nessa lista. Pelo programa controlador da própria Remidi é possível configurar as ações comandadas pela luva (como os sons que cada movimento reproduz) e com o software de produção musical seria possível gravar e editar os áudios produzidos. Tudo isso da à T8 um leque bem vasto de composições possíveis.

Remidi T8

Num segundo vídeo-demonstração, os idealizadores do projeto mostram que por funcionar com o padrão MIDI, a luva funciona inclusive sem a ajuda de softwares adicionais a aquele que você usa na sua mesa de produção musical, por exemplo.

Embora não possamos confirmar que os sons demonstrados são realmente gerados a partir da luva, aparentemente a Remidi T8 funciona muito bem em qualquer superfície. Isto porque ela consegue detectar também qual tipo de superfície está sendo usada, e mais: pode também definir perfis de áudio diferentes para cada material tocado.

Os controles de modulação anteriormente citados funcionam como no vídeo abaixo: tudo a se fazer é definir um ponto de ângulo neutro e um outro ponto de ângulo máximo, e assim, conforme você movimenta o seu braço vertical ou horizontalmente, a luva define qual será a distorção no som reproduzido no momento. Isso parece ser fantástico.

Como se já não bastasse, os caras da Remidi afirmam que a luva além de compor músicas e batidas novas, pode remixar músicas já existentes. Um DJ e sua mesa controladora podem usar uma Remidi como parte dos controles a serem acessados, tudo é definido pelo padrão universal da luva que funciona com praticamente todos os controladores musicais, é como um instrumento comum. Se você não tiver softwares de produção musical como o Garageband ou o ProTools, não há problema: o aplicativo de configuração (que aparentemente só está disponível para iOS, no momento) virá com 25 packs de remixes inclusos.

As especificações técnicas do gadget revelam uma bateria de 110 mAh que aguenta de 5 a 10 horas, onde o responsável por essa autonomia deve ser o transmissor Bluetooth 4.0 de baixíssimo consumo usado na luva. Além disso há uma porta micro USB para recargas e a instalação de patches e atualizações (algo prometido pela empresa) também está no pacote. A luva e o controlador são unidos por imãs e por isso podem ser desconectados na hora de por e tirar o apetrecho, tornando a utilização da Remidi algo um pouco mais prático. O material utilizado na luva em si é uma espécie de tecido muito leve e fino, além de super flexível, os sensores internos são construídos com TPU e plástico, mais detalhes sobre o funcionamento deles não foram dados.

Remidi T8

Neste último vídeo é possível ver as versões iniciais do projeto e entender que, de acordo com depoimento dos próprios criadores, o segredo da Remidi está nas palmas. A forma como a luva consegue compreender os movimentos do pulso e a abertura da palma do usuário resultam no infinito leque de sons que podem ser produzidos.

A empresa relata que embora ainda esteja procurando maneiras de unir a confiabilidade de materiais e uma velocidade produção que não torne a Remidi algo extremamente caro, pretende enviar os primeiros exemplares aos compradores a partir de novembro desse ano. Doando US$ 349 é possível encomendar um exemplar; por US$ 669 você leva duas Remidis T8, podendo escolher se quer modelos destros, canhotos ou dos dois modos. A empresa também promete entregar no mundo todo.

Vale lembrar que não é sempre que algum projeto lançado no Indiegogo ou Kickstarter vai realmente para frente. Embora estejamos ansiosos para ver como a luva inteligente irá nos tornar maestros digitais, sempre é possível que encontrem falhas até o lançamento final. Se você decidir por doar para a campanha e comprar um exemplar de testes, não se esqueça de contar para nós sobre a experiência de ter uma Remidi T8 assim que ela chegar.

Fonte: Indiegogo

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.