Siga o @canaltech no instagram

Enquanto rivais veem potencial em speakers, Apple trata HomePod como acessório

Por Redação | 21 de Novembro de 2017 às 17h07
Tudo sobre

Apple

Saiba tudo sobre Apple

Ver mais

2017 pode ser marcado como o ano dos speakers inteligentes. Ainda que esse tipo de gadget não tenha sido inventado neste ano, foi somente agora que eles começaram a conquistar um grande número de usuários, que, depois de alguns modelos do Echo, lançados pela Amazon, começaram a sentir confiança de que um assistente pessoal em formato de aparelho eletrônico era mesmo algo útil e necessário.

Isso aconteceu com ainda mais afinco depois de a Google abraçar a novidade com seu Google Home, que, hoje, já existe em três versões diferentes (a convencional, o Mini e o Max). Ainda, diversas outras empresas vêm lançando seus próprios alto-falantes inteligentes, não querendo ficar de fora deste mercado, que parece promissor. E justamente por isso é de se estranhar que a Apple não tenha sido pioneira neste novo mercado, ou, ao menos, ainda não esteja participando efetivamente dele.

Mas a verdade é que o HomePod, anunciado no primeiro semestre, não é exatamente uma prioridade para a Maçã. A companhia de Cupertino já chegou a cancelar e reiniciar o projeto de sua criação algumas vezes nos últimos três anos, sendo que, inicialmente, o speaker seria parte de um projeto paralelo de alguns engenheiros que desenvolvem os computadores da Apple, com concepção original datada de 2012.

Participe do nosso Grupo de Cupons e Descontos no Whatsapp e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Dois anos depois, com nada saindo do papel, a Apple se surpreendeu com a chegada do primeiro Echo pelas mãos da Amazon e, então, acabou decidindo usar aquele antigo projeto paralelo para criar o que depois descobrimos se chamar HomePod. Ainda assim, a Maçã levou três anos para anunciar o produto oficialmente, mostrando que, mesmo com um novo nicho de mercado à sua espera, os speakers inteligentes não eram mesmo sua prioridade.

E isso pode ser confirmado pelo fato de que a Apple, ao menos por enquanto, ainda trata o speaker como um mero acessório, não sendo, nem de longe, um destaque em sua nova linha de produtos. Enquanto isso, empresas como a Google vêm se dedicando bastante na divulgação de seus speakers, tentando posicioná-los neste novo mercado como dispositivos de necessidade, tanto quanto um smartphone ou tablet, não sendo somente um mimo para quem tem algum dinheiro sobrando.

De qualquer maneira, o HomePod, que chegará ao mercado somente no início de 2018, encontrará uma variedade de concorrentes à altura, mas, por outro lado, poderá servir como um objeto de desejo, fazendo com que muitas pessoas decidam usar smartphones e tablets da Maçã para que tudo fique devidamente sincronizado com seu novo speaker inteligente.

Fonte: CNet

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.