TDK Performance WR700: por um mundo sem fios

Por Pedro Cipoli

Por um mundo com menos fios, a TDK Performance criou um fone de ouvido wireless com uma qualidade bastante acima da média, e, claro, com um preço não tão atraente para muitas pessoas. Estamos falando do WR700, um modelo que tem um visual mais clássico, com cores mais conservadores e sérias, além de um dos melhores acabamentos mais bonitos que vimos até aqui, capazes de fazer qualquer um parecer mais bonito somente por usá-lo na cabeça.

Seu uso é bastante confortável, embora ele seja um pouco mais pesado do que gostaríamos. Isso é compensado pelo suporte à cabeça e pela suavidade das espumas dos alto-falantes, todos desenhados em couro. A estrutura é bastante resistente e mostra resistência a pancadas ocasionais (como derrubá-lo no chão, por exemplo), faendo deste um modelo que funcionará durante vários anos.

A transmissão de áudio é feita com uma tecnologia chamada Kleer, capaz de fornecer um som limpo e ininterrupto mesmo que o usuário se movimente pelo ambiente. Quer dizer, a não ser que uma parede apareça no meio do caminho. Embora a TDK garanta um alcançe máximo de 10 metros, mesmo com 2 metros e uma parede o áudio começa a falhar, isso sem nos movimentarmos.

Outro problema é que este não é um modelo recarregável. De fato, são necessárias 4 pilhas padrão AAA (dois para o receptor e dois para o fone de ouvido), o que é um inconveniente tremendo. Baterias são tecnologias baratas, então por que não incorporá-las ao WR700? No caso do receptor, por que não colocar uma opção de alimentá-lo através de uma porta USB? Pilhas são muito, mas muito chatas de administrar – e esta é a falha mais grave deste modelo em especial.

Outro ponto é: por que não utilizar a antena Bluetooth do laptop ou smarpthone? Em geral, essas ficam ociosas na maior parte do tempo, então seria uma opção válida para quem pretende utilizá-lo em um smartphone. O receptor é grande e desengonçado demais para quem preza por ultraportabilidade, tudo isso para ser compatível com qualquer entrada P2. A vantagem é que o conjunto faz todo o trabalho sem precisar de ajuda, mas bem que seria útil uma segunda opção de conexão, mesmo que isso diminuísse o alcance.

A qualidade de áudio é um ponto de destaque, com um grave comparável à série Beats Audio. Em todas as músicas que escutamos, pudemos sentir todos os detalhes, seja nos graves, médios ou agudos. Isso em um volume decente, com o controle embutido no próprio fone de ouvido (as pilhas são úteis para essas coisas, no final das contas). Para quem gosta de escutar músicas no volume máximo, aqui vão duas informações: o máximo do WR700 é muito alto, a ponto de doer os ouvidos.

Outro ponto é que, em volumes próximos do máximo, a música fica perceptivelmente alterada, e não é para melhor. E outra: como o WR700 tem alimentação por pilhas, aumentar o volume é diminuir a autonomia de uso. A TDK garante entre 30 e 40 horas de reprodução de músicas, algo que varia bastante conforme o tipo de pilha utilizada e as condições de uso. Em nossos testes, o utilizamos com uma certa frequência por duas semanas seguidas (acreditem, deu bem mais que 40 horas) e não precisamos trocar as pilhas.

O pareamento entre o receptor e o fone de ouvido é bastante simples: basta apertar o "Power" em ambos, o que é um ponto positivo se comparado ao pareamento via bluetooth, que requer algumas etapas adicionais. Outro ponto que vale a pena mencionar é que, embora se trate de um modeolo supra-aural, o isolamento sonoro é bastante poderoso, capaz de fazer uma pessoa falando do seu lado ficar completamente inaudível.

O preço? Bem, a TDK não é conhecida por ter preços amigáveis, focando mais em performance do que em economia. Custando cerca de R$ 900, é estranho falar que ele tem um bom custo benefício, afinal esse valor é caro para qualquer fone de ouvido, mas traz uma boa experiência pelo valor investido.

Ficha técnica

  • Impedância: 32 +/- 10% Ohms
  • Driver: 34 milímetros
  • Resposta de frequência: 20 - 20.000 Hz
  • Sensibilidade: 106 +/- 5 dB
  • Alcance: 10 metros
  • Conector: P2 convencional