Pulseira com GPS usa sistema vinculado às mídias sociais para evitar agressões

Por Redação | 05 de Abril de 2013 às 15h55

Um grupo sueco conhecido por seu ativismo em defesa dos direitos civis utilizou o poder da tecnologia GPS para criar uma pulseira capaz de rastrear e proteger seus membros contra ataques de violência.

O 'Civil Rights Defenders' (em português, Defensores dos Direitos Civis), é um grupo da Suécia que se descreve como "uma organização que defende os direitos políticos e civis das pessoas". Eles foram responsáveis pela criação do denominado 'Projeto Natalia', uma pulseira que envia um alerta para outros membros quando o usuário é sequestrado ou assaltado, por exemplo.

Quando o alerta da pulseira é acionado pelo usuário, mensagens são enviadas via Twitter e Facebook para os demais membros do grupo, detalhando a hora e o local exato do acontecimento. Um alerta também é emitido caso a pulseira seja retirada a força. A invenção visa, essencialmente, transmitir segurança para o usuário na forma de sensibilização do público em relação a seu paradeiro, inclusive por meio das redes sociais.

O dispositivo foi inspirado no caso de Natalia Estemirova, uma defensora dos direitos civis que no dia 15 de julho de 2009 foi sequestrada e encontrada morta algum tempo depois. O grupo alega que o motivo do assassinato foi o seu trabalho comprometido com os direitos humanos.

Natalia Project
Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!