Oculus Rift para o consumidor deve atrasar e chegar só em 2016

Por Redação | 16 de Março de 2015 às 12h21
photo_camera Divulgação

Após fazer uma das maiores campanhas de arrecadação no Kickstarter, o Oculus Rift ganhou pelo menos duas versões para desenvolvedores e está em seu estágio final antes de chegar ao mercado. E é justamente esta a dúvida de milhares de pessoas: quando o acessório chegará ao consumidor? No que depender dos criadores do gadget, o lançamento, que antes estava previsto para o final deste ano, deve ser adiado para 2016.

Em um painel no evento South by Southwest (SXSW), em Austin, Texas (Estados Unidos), o fundador da Oculus VR, Palmer Luckey, disse que a companhia "não tem nada para anunciar" no que diz respeito a data em que o Rift será disponibilizado para todos. O motivo para um suposto atraso é simples: entregar a melhor tecnologia para o usuário. "Não posso comentar sobre datas, mas posso dizer que tudo está correndo perfeitamente bem [no desenvolvimento do headset]", afirmou.

Nate Mitchell, vice-presidente de produto da Oculus VR, também reforçou que não há nada planejado quanto ao lançamento comercial do visor de realidade virtual. "Com o Rift, nossa equipe quer lançá-lo o mais rápido possível, mas sem estabelecer compromissos", disse. As informações são do Re/Code.

Além de uma possível janela de lançamento, os fundadores da startup fazem mistério sobre o preço oficial do produto. No ano passado, em entrevista ao site Eurogamer, Mitchell revelou que a companhia pretende colocar o gadget à venda por um valor entre US$ 200 e US$ 400. Embora os valores possam parecer muito abaixo do esperado, o executivo declarou que "tudo depende de escala, pré-venda, os componentes que serão usados [na fabricação] e negociações financeiras".

A versão que será vendida para o consumidor é o primeiro modelo do Oculus Rift. Independentemente de como e quando será colocado no mercado, o aparelho será "o mais barato possível", pois, segundo Palmer Luckey, este é o objetivo da companhia. "No lançamento do produto, não queremos ter um catálogo de apenas cinco, seis ou sete títulos de estreia, como tem acontecido com outros consoles de videogame. Queremos oferecer um monte de coisas no dia do lançamento. E para aqueles que estão à espera, eu digo: ela vai valer a pena", completou.

Comprada pelo Facebook em março de 2014 por US$ 2 bilhões, a Oculus VR também anunciou recentemente a criação de um estúdio interno de cinema para desenvolver longas e curtas-metragens para serem assistidos usando o Rift. Batizada de Story Studio, a divisão é comandada por Saschka Unseld, ex-animador da Pixar que já havia trabalhado em Toy Story 3 e Valente. Já foi lançado para o headset o filme interativo Lost e outras produções exclusivas estão a caminho, como Dear Angelica, Bullfighter e Henry.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.