Kobo Glo, o leitor digital com tela retroiluminada da Livraria Cultura

Por Pedro Cipoli

O Kobo Glo, leitor de livros digitais que é concorrente direto do Kindle Paperwhite, chegou ao Brasil recentemente. É o modelo mais avançado da Livraria Cultura, e traz alguns recursos bastante interessantes em relação ao Kobo Touch sem uma grande diferença de preço. O seu custo-benefício é claramente superior.

Mas o seu concorrente não é o Kobo Touch, e sim o Kindle Paperwhite, então o Kobo Glo deve ter recursos o suficiente para bater de frente com a Amazon pela preferência do público, certo? Para quem quer um dispositivo completo que se comporte bem em ambientes com todos os tipos de luminosidade (ou mesmo completamente escuros), a retroiluminação de tela é essencial, e neste quesito o Kobo Glo fica um pouco para trás.

Há um controle batante refinado dos níveis de luminosidade, ao estilo do modelo da Amazon, sendo uma boa notícia para quem quiser fazer um ajuste mais fino em ambientes noturnos. Mas ainda assim, tivemos a impressão de que a luz é um pouco mais agressiva aos olhos do que a do Paperwhite. Não muito, mas o suficiente para repararmos. A qualidade da tela é um ponto sobre o qual não temos do que reclamar, já que traz uma resolução maior do que a presente no Kobo Touch (1024x758 contra 800x600) com 16 níveis de cinza, o que proporciona maior suavidade entre um tom e outro.

Porém, colocando as especificações um pouco de lado, podemos dizer que a tela do Glo é perceptivelmente inferior à do Paperwhite. Simples assim. Ao colocar ambos lado a lado podemos notar a diferença de contraste, e a do Kindle proporciona um conforto maior. A diferença é sim pequena, mas se tivéssemos que escolher entre um e outro tendo apenas a tela como referência, nossa opção seria o Paperwhite.

Assim como o Touch, o Glo suporta uma variedade de formatos de texto e imagens, sendo capaz até de ler quadrinhos (extensão .CBR, indisponível no Kindle), mas decepciona por não possuir suporte ao .DOC do Microsoft Word. Como todas as versões da Livraria Cultura, ele suporta tanto o .EPUB utilizado pelos livros digitais nacionais quanto o .MOBI, que é um pouco mais genérico.

De resto listamos as semelhanças do Glo em relação ao Touch: a tela tem o mesmo tamanho (6 polegadas), o armazenamento é de 2 GB expansível até 34 GB através de um cartão micro SD, navegador incluso (embora ainda bastante rudimentar) e o peso permanece em 185 gramas. A duração de bateria do Glo é inferior, mas nenhuma surpresa neste quesito, já que a iluminação de fundo consome bastante energia.

Conclusão

Após o anúncio da vinda do Kindle Paperwhite para o Brasil, a Livraria Cultura diminuiu o preço de todos os Kobos, e o Glo passou de R$ 449 para R$ 399. Para quem está disposto a comprar seus livros no formato digital, o Glo é uma boa opção se você não quer investir mais R$ 80 e pegar o Paperwhite. Como dissemos, a sua tela é ligeiramente inferior, mas nada que justifique a diferença de preços.

Tendo recursos bem superiores ao modelo Touch, como resolução de tela maior e retroiluminação, a diferença de preço faz do Glo a melhor opção da Livraria Cultura pela maior gama de ambientes onde ele funciona, desde locais muito ensolarados até um quarto escuro, e embora não bata o Kindle Paperwhite em alguns pontos, este é o e-reader de melhor custo-benefício que temos à venda hoje no Brasil.

Vantagens

  • Bom custo-benefício, sendo consideravelmente superior ao Kobo Touch com uma pequena diferença de preço
  • Bastante leve (185g)
  • É possível expandir a capacidade de livros com um cartão micro SD
  • Tela retroiluminada e sensível ao toque

Desvantagens

  • A tela é boa, mas ainda perde para a do Kindle Paperwhite
  • Não há uma versão 3G
  • Poucas opções de controle de brilho da tela
Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.