Kindle Paperwhite, o Kindle com retroiluminação e tela sensível ao toque

O mercado de e-books está começando a crescer no Brasil, especialmente com a vinda da Amazon e seu modelo básico do Kindle. Junto com a série Kobo da Livraria Cultura, estes são os únicos modelos realmente competitivos que temos por aqui. Para quem deseja um leitor de livros digitais com um pouco mais de recursos, a única opção é o Kobo Glo - pelo menos enquanto o Kindle Paperwhite que vamos analisar hoje não tem data de lançamento nem preço sugerido em nosso país.

O principal recurso que diferencia a versão Paperwhite do Kindle da versão básica é a retroiluminação de tela, o que o torna ideal para quem deseja ler em lugares muito escuros ou muito claros. Com vários níveis de intensidade, é possível ler confortavelmente em qualquer lugar independentemente da iluminação ambiente.

A interface sensível ao toque é um diferencial em relação à versão básica, mas não um recurso que ofereça muitas funcionalidades a mais. A exemplo do Kobo Touch, não há botões dedicados para virar a página, o que pode ser uma má notícia para quem costuma ler com apenas uma mão, e a Amazon foi ainda mais além, removendo até o botão principal para voltar à tela inicial.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Todas as opções são feitas através do menu sensível ao toque, basta clicar no canto superior da tela para visualizar as opções. Tudo é bastante simples e intuitivo: temos o botão "Home", controle de luminosidade, formatação de textos (com algumas opções a mais do que o Kindle básico) e Configurações.

Nas configurações temos acesso à loja de livros da Amazon, algumas opções de organização (como criar coleções de livros) e o famoso navegador experimental, que funciona mais como quebra-galho do que como algo funcional, afinal, estamos falando de um e-reader, não de um tablet como o Kindle Fire.

Além da retroiluminação, o Kindle Paperwhite vem com uma tela com definição 25% maior do que a versão básica. A tecnologia, conhecida como E-Ink XGA, aumenta o PPI de 169 para 212. Outro ponto é o processador mais potente, agora com 1 GHz, resultando em uma maior velocidade de leitura e uma experiência um pouco melhor com o navegador web experimental.

A preocupação de muitos leitores é a autonomia, afinal, a combinação de processador mais forte, retroiluminação e resolução de tela maior pode assustar qualquer bateria. Segundo a Amazon, o Paperwhite pode ficar até 8 semanas fora da tomada mesmo com a luz ligada, levando em conta 30 minutos de leitura por dia, o que pode variar de usuário para usuário.

Conclusão

Ainda sem data definida para ser lançado no Brasil, o Kindle Paperwhite pode ser encontrado lá fora por US$ 119 na versão WiFi. Se aplicarmos a mesma proporção usada na versão básica do Kindle (onde US$ 89 cobrados nos EUA se transformam em R$ 299 no mercado nacional), chegamos ao valor de R$ 399, o que o torna competitivo em relação ao Kobo Glo, por enquanto a melhor opção que encontramos aqui.

Os recursos que não mencionamos, como armazenamento interno e formatos suportados, são iguais aos da versão anterior, com 4 GB e capacidade de ler o formato kindle (nããão diga!), mobi e PDF, embora este último não possua a capacidade de text reflow, que ajusta o livro a qualquer tamanho de tela e capacidade de ajustar fontes e margens.

O que todos querem saber é: compensa investir um pouco mais e levar o Paperwhite? Nós acreditamos que sim, pois quem compra um leitor de e-books fica com ele durante vários anos e os recursos adicionais saem barato a longo prazo. No final das contas, não é legal economizar um pouco e não poder ler seus livros em qualquer ambiente.

Vantagens

  • Custo-benefício maior do que a versão básica
  • Bateria de longa duração, considerando que se trata de um modelo com retroiluminação

Desvantagens

  • Não suporta arquivos EPUB, padrão brasileiro de livros digitais
  • Não há uma data prevista para lançamento no Brasil até o fechamento deste artigo
Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.