Já desmontaram o Amazon Fire – e ele não deverá ser barato para consertar...

Por Redação | 25 de Julho de 2014 às 15h10

A Amazon apresentou oficialmente nesta semana o seu primeiro smartphone, o Amazon Fire, que está gerando muita discussão sobre suas funções exclusivas, como o app de reconhecimento Firefly e o display com profundidade dinâmica.

Mas uma coisa já é certa: o smartphone provavelmente não será fácil de se consertar. O site iFixit publicou um vídeo na quinta-feira (24), no qual desmontou completamente o dispositivo para dar um olhada no hardware interno.

O site busca ensinar usuários como desmontar seus próprios dispositivos e consertá-los e, para o Fire, a conclusão não foi muito boa: de uma nota de 0 a 10, o site deu apenas três para a facilidade de manutenção do smartphone.

Entre os problemas de se desmontar o Fire estão a grande quantidade de conectores e cabos internos, além da remoção da bateria, considerada "difícil" pela equipe. O smartphone também não é modular – muitos componentes internos compartilham cabos, o que significa que se algo precisar de conserto, provavelmente será caro.

Além disso, por causa das quatro câmeras frontais, que criam a perspectiva dinâmica da tela, trocar o display do smartphone também exige bem mais trabalho.

O único ponto positivo é que a parte traseira do smartphone é presa ao corpo por dois parafusos não-proprietários, e não por adesivo - como acontece com muitos dispositivos selados do mercado. Isso facilita tanto a abertura quanto a remontagem.

Vale lembrar que há um adesivo dentro do dispositivo que se rompe quando alguém abre o Fire - o que provavelmente vai anular qualquer garantia.

Veja o vídeo completo:

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.