Funcionários recebem ameaça de morte devido à transação Oculus VR/Facebook

Por Redação | 03 de Abril de 2014 às 19h22

A surpreendente compra do Oculus VR pelo Facebook, pela expressiva quantia de US$ 2 bilhões, continua causando protestos na web, principalmente nas redes sociais. O que o criador do Oculus Rift, Palmer Luckey, não esperava é a extensão dessa "mágoa" dos então seguidores do produto: empregados e familiares estariam recebendo ameaças de morte, inclusive por telefone.

De acordo com informações do Gamespot, o vice-presidente do Oculus VR, Nate Mitchell, já esperava uma reação agressiva dos fãs, mas não tanto repúdio da comunidade em geral. "Admitimos que a reação poderia ser negativa, principalmente no núcleo de nossa comunidade", disse. "Além da nossa comunidade, esperava que a reação fosse positiva."

Para evitar que os protestos continuem, principalmente nas redes sociais, Mitchell e Luckey buscaram o Twitter e o Reddit para explicar melhor como a transação faz sentido e que deveria ser considerada uma boa jogada.

Luckey até mesmo tem passado boa parte de seu tempo respondendo a questões no Reddit, especialmente sobre privacidade, a grande "birra" dos fãs, já que o envolvido é o Facebook, conhecido por ter uma política um tanto quanto controversa a respeito dos dados de seus usuários. Entretanto, as respostas não vêm sendo a que os empresários esperam.

"Esperávamos uma reação negativa das pessoas em curto prazo. Só não esperávamos tantas ameaças de morte e assédio por telefone, que se estenderam às nossas famílias", reclamou Luckey. "Sabemos que vamos provar mais com ações do que com palavras (...) e isso está causando um impacto nas pessoas por razões que nada têm a ver com a Oculus".

Fonte: http://www.gamespot.com/articles/oculus-vr-employees-got-death-threats-after-facebook-sale-update/1100-6418626/

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.