30% dos passageiros 'se esquecem' de desligar o celular durante o voo

Por Redação | 13.05.2013 às 06:05

Por motivos de segurança, tanto no Brasil quanto em países como os Estados Unidos, solicita-se que os aparelhos eletrônicos sejam desligados durante pousos e decolagens. Contudo, a medida não tem sido cumprida por boa parte dos passageiros, como mostra um estudo realizado pela Airline Passenger Experience Association (APEX) e pela Consumer Eletronic Association (CEA).

Cerca de 30% dos passageiros norte-americanos “se esquecem” de desligar aparelhos eletrônicos – destes, 61% são smartphones. De acordo com a pesquisa, 99% dos passageiros adultos nos Estados Unidos viajam com pelo menos um aparelho eletrônico a bordo, sendo o smartphone o mais comum deles, seguido por laptops e tablets.

De cada dez passageiros, sete afirmam fazer uso de seu gadget durante o voo e 40% deles gostariam de poder usar o aparelho durante todos os momentos da viagem, incluindo o pouso e a decolagem. Nesta hora, em que o desligamento dos gadgets é solicitado, 59% dos passageiros seguem o pedido à risca e desligam o equipamento completamente, enquanto 21% usam o chamado “modo avião”.

Eletrônicos em voos

Para Doug Johnson, vice-presidente de políticas tecnológicas da CEA, “passageiros de avião têm seus smartphones, tablets e e-readers como companheiros de viagem indispensáveis.” Pesquisas como esta podem ajudar na mudança de algumas regras da aviação em relação aos gadgets. Afinal, como completou Johnson, “entender as atitudes e o comportamento dos passageiros que fazem uso de aparelhos eletrônicos durante viagens irá ajudar a FAA [órgão norte-americano equivalente à ANAC] a tomar decisões melhores”.

Todo cuidado é pouco?

O uso de aparelhos eletrônicos, principalmente de celulares, é proibido durante pousos e decolagens devido a possíveis interferências magnéticas que possam prejudicar a comunicação via rádio presente nos aviões. Falhas causadas pelo sinal do celular poderiam comprometer a precisão de um pouso, por exemplo, colocando em risco todos os passageiros da aeronave. Embora esta hipótese nunca tenha sido comprovada, a regra se mantém – mesmo não sendo cumprida por todos.

No mês passado, uma nota divulgada pelo The New York Times comentou a possibilidade iminente da liberação de uso de eletrônicos durante todo o voo.