Vivo prepara plataforma de controle de conta telefônica completamente digital

Por Rafael Romer | 29 de Outubro de 2015 às 10h29
photo_camera Rafael Romer/Canaltech

O presidente da Vivo, Amos Ganish, antecipou nesta quarta-feira (28) durante a Futurecom que a operadora deverá lançar seu primeiro produto 100% digital, desenhado para funcionar como uma central de controle do plano de telefonia do usuário, sem a necessidade de entrar em contato direto com a companhia.

Apelidado de Vivo Easy, o produto deve chegar já em novembro e permitirá que o usuário controle funções como contratar pacotes de voz, dados e roaming, atualizar o plano, ver informações históricas de seus planos e comprar aplicativos da Vivo.

Com o serviço, a operadora espera melhorar a experiência do usuário na interação com a empresa, além de cortar custos de operação (OPEX) de serviços de atendimento como call centers - um modelo cada vez mais insustentável para as companhias.

"Vai reduzir OPEX, sem dúvidas, mas a ideia é dar uma ferramenta digital para o consumidor", comentou Ganish. "Hoje, ir a uma loja para comprar um SIM card, mudar plano, falar com o telemarketing, tudo isso reduz a qualidade de experiência do cliente. O Vivo Easy foi criado para isso".

Para o ano que vem, a operadora tem a expectativa de manter um patamar de investimentos semelhante ao de 2015, de R$ 8,5 bilhões, em áreas como banda larga fixa, Big Data e serviços digitais para competir com as OTTs.

Na área de Big Data, o executivo afirmou que a organização tem planos de se tornar um "big bank" de dados a partir do ano que vem e tem investindo em ferramentas do tipo conforme o preço de soluções caem consideravelmente. De acordo com Ganish, a Vivo tem potencial para rivalizar outros OTTs com a quantidade de dados coletados sobre seus usuários, o que poderia ser utilizado em novos serviços e ofertas.

Sobre a concorrência com OTTs, o presidente antecipou que a Vivo está preparando o lançamento de um novo produto apelidado de "Tu Go" para agir no setor "nos próximos meses", mas não detalhou informações sobre qual será a oferta do serviço. "Não vamos deixar esse campo só para as operadoras de OTTs", disse.

Durante sua fala, Ganish voltou a pedir "regras iguais" para a relação entre OTTs e as operadoras e que a Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) e o Ministério das Comunicações (Minicom) avaliem o tema efetivamente. "Acho que chegou a hora para a Anatel sair da zona de conforto, falando algumas frases clichês sem mergulhar a fundo no assunto, com debate tecnológico, técnico e jurídico", opinou. "A Anatel está errando em não mexer com as OTTs".

Amos Ganish

Executivo afirmou que Vivo prepara um produto para concorrer com OTTs nos próximos meses (foto: Rafael Romer/Canaltech)

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.