MWC 2016: Um olhar sobre o que vem por aí

Por Colaborador externo | 26 de Fevereiro de 2016 às 13h20

Por Marcelo Abreu*

Em uma Barcelona que sofre com uma greve do transporte público, oportunamente junto com o maior evento da cidade, talvez seja mais fácil encontrar Neymar Jr. passeando pela Ramblas do que um táxi para o seu hotel. Mais uma vez o Mobile World Congress - MWC prova que vale a pena conferir pessoalmente o que está acontecendo. Esse MWC nos traz uma chuva de tendências na área de Mobile, que deve repercutir bastante nos próximos meses.

Automóveis cada vez mais inseridos no mercado mobile. IoT, realidade virtual e aumentada como grandes apostas. 5G prometendo ainda trazer muita polêmica quanto as suas padronizações. Smartphones sem tantas novidades, mas com muitos recursos. Esse é o resumo da feira MWC 2016, que traz muitas tendências para os próximos anos, em um mercado cada vez mais empolgante. Vou compartilhar com você o que achei mais interessante até o momento:

  1. As grandes fabricantes resolveram diversificar a estratégia de diferenciação dos seus produtos, com cada vez mais commodities e fidelização dos consumidores. A Samsung está investindo pesado na realidade virtual com seu Gear e Galaxy S7, a ponto do garoto propaganda ser ninguém mais ninguém menos que Mark Zuckerberg, prometendo colocar o Facebook para gerar conteúdo de realidade virtual! Microsoft indo cada vez mais para o mercado corporativo com seu bonito Lumia 950 com Windows 10. A LG apostando em um conceito não tão novo de modularização de acessórios mas muito interessante com seu poderoso G5. Será que no futuro apenas faremos upgrades de partes dos smartphones? Sony também lançou sua nova série Xperia X, demonstrando que a empresa está cada vez mais voltada ao mercado premium com suas ótimas câmeras no celular! Muito legal também a “Lenovo Connect”, tecnologia da Lenovo que fez parcerias com MVNOs (mobile virtual network operators) para baratear roaming de dados.
  2. IoT é o wearable da vez? Sim, se pensarmos que nos últimos anos houve um boom de wearables, aqui mesmo no MWC por exemplo, e IoT está sendo a tendência da vez. Esse ano houve uma diminuição significante do número de relógios e pulseiras inteligentes lançados. Apesar desse mercado ter sido super estimado e do Apple Watch não o ter alavancado tanto quanto se esperava, não se pode dizer que os wearables morreram. Algumas boas novidades podem ser vistas aqui. A Sony trouxe o inovador Xperia Ear, um headset wearable bem discreto que fica na orelha e interage com o usuário por comandos de voz. A Garmin trouxe muitos wearables tradicionais, como relógios completos para práticas esportivas (Vivoactive HR e Vivofit 3) mas o que mais chamou atenção foi o óculos de realidade virtual Varia Vision para ciclistas, lançado no último mês. É um tipo de clipe no óculos do ciclista com tecnologia Heads Up Display utilizada anteriormente no Google Glass. Para finalizar, um tênis que promete ajudar praticantes de golfe e de musculação: o Smart Shoes Iofit. Agora voltamos a bola da vez: Internet of Things, ou apenas IoT. Diversas empresas estão trazendo plataformas de software e soluções em IoT. Alguns destaques merecidos: Nokia veio mostrando seu alto investimento em soluções IoT e sua proposta de rede 5G. A operadora T-Mobile dedicou um stand inteiro a IoT, oferecendo espaço a diversas empresas parceiras com suas soluções de IoT. Qualcomm e Intel abusaram da criatividade na área de IoT também. A Innovation City também foi um grande celeiro de novidades IoT, com casas conectadas, bicicletas e automóveis.
  3. Dedico aqui um parágrafo especial aos automóveis conectados nesse ano. Sem muito barulho com os carros autônomos ainda, mas com muita conexão, os automóveis sem dúvida são a “coisa” da vez para estar ligado à Internet. Na feira desse ano, diversos carros de diferentes modelos, dos mais básicos aos mais esportivos e luxuosos, diversas empresas grandes e pequenas estão trazendo suas soluções IoT para o mercado automotivo. Quem sabe daqui a alguns anos teremos um MWC com diversos lançamentos de modelos de automóveis?
  4. Com um volume de informações cada vez maior nas redes móveis, quer seja no número impressionante de bilhões de dispositivos conectados (IoT), quer seja no aumento de pacotes de dados que os vídeos de alta definição e de realidade aumentada e virtual irão trazer, não se pode ignorar a discussão sobre a infraestrutura dessa rede e sua evolução, o 5G. O 5G está em pauta na feira desse ano, sem nenhuma conclusão por enquanto, mas com muitas questões a serem definidas ainda. Com qual a frequência deverá ser utilizado? As operadoras conseguirão manter a neutralidade da rede, frente a um volume de pacotes com diferentes prioridades?
  5. Agora a grande estrela da Feira foi sem dúvida a expressiva massificação dos óculos de realidade virtual, liderada pela Samsung, mas também com HTC mostrando seu produto. Se tinha uma fila na Feira, com certeza era de uma demonstração de realidade virtual. Você poderia andar numa montanha russa, mergulhar no fundo do oceano, fazer um grafite virtual, enfim, a imaginação foi o limite. O quanto será bem sucedido, não podemos dizer, mas que há um mundo de possibilidades, isso há. Os mercados de games, entretenimento, saúde e educação são os que mais podem se beneficiar dessa poderosa tecnologia, em um curto espaço de tempo. É bem verdade que os óculos são desconfortáveis, mas sem querer se estender muito nos detalhes, seu cérebro precisa ser enganado e imerso num outro contexto, por isso não podemos ter “brechas” para o mundo real. Já que ainda não contamos com os recursos das pílulas vermelhas e azul da Matrix, vale a pena se arriscar num mergulho virtual nessa grande tecnologia!

Viva Barcelona! Viva o MWC!

*Marcelo Abreu é gerente executivo do Venturus.

Instagram do Canaltech

Acompanhe nossos bastidores e fique por dentro das novidades que estão por vir no CT.