Internet, redes e data centers serão legado da Olimpíada do Rio, diz governo

Por Redação | 12.08.2016 às 06:49
photo_camera Divulgação

Nesta sexta-feira (12), completa uma semana desde o início da Olimpíada do Rio de Janeiro. Mas desde antes já se falava sobre o quê um evento dessa magnitude poderia trazer de legado para o Brasil. De acordo com o governo, no que diz respeito a tecnologia, as principais obras dos Jogos Olímpicos que ficarão para os brasileiros são, em sua maioria, destinadas à infraestrutura de conectividade.

"O principal legado é de infraestrutura de conectividade. (...) Acesso à internet, data centers, acesso não só público, mas também que vai melhorar a gestão interna do governo tanto do estado quanto do município. Acesso à internet em escolas, hospitais e postos de saúde. Então, toda uma rede que vai ser deixada como legado que a Cisco está oferecendo para o poder público poder aproveitar depois da Olimpíada", afirmou o secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação do estado do Rio, Gustavo Tutuca.

Durante o evento Casa Rio Negócios, no Boulevard Olímpico, Região Portuária da cidade, Tutuca ainda informou que foram desenvolvidos 110 protótipos no programa de startups do governo do estado do Rio, o Start-up Rio, em que foram investidos R$ 10 milhões. Segundo ele, o projeto, que consiste em soluções de tecnologia em aplicativos para dispositivos móveis, tem previsão de investimento anual de R$ 5 milhões. O governo também espera uma maior participação da iniciativa privada.

Outro edifício que deve se beneficiar das Olimpíadas é o Centro Internacional de Transmissão (IBC, na sigla em inglês). É lá que ficam as emissoras de TV e rádio que realizam para o mundo todo a transmissão dos Jogos Olímpicos para seus respectivos países. O prédio, situado na Cidade Olímpica, na Barra da Tijuca, tem capacidade para receber 85 mil pessoas e deve funcionar como um centro empresarial após o evento esportivo.

No entanto, o secretário não deu detalhes de quantas pessoas ou locais esse legado poderia atingir. "É difícil mensurar porque nós apresentamos um projeto para aproveitar o legado e agora, passada a Olimpíada, nós vamos ter um retorno do que eles vão poder atender efetivamente. Então, a gente ainda não tem como dizer o que vai ser efetivo aplicado de projeto de legado", explicou.

Capacitação dos jovens

Cerca de 300 jovens de comunidades do Rio de Janeiro foram capacitados para atuar na área de tecnologia através do curso técnico Cidade Olímpica, informou o Rio Negócios. Do total, 100 estão atuando como técnicos de rede no apoio aos Jogos Rio 2016. O programa de capacitação é realizado pela Cisco em parceria com a Secretaria Especial de Ciência e Tecnologia da Cidade do Rio de Janeiro (SECT) e o Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016.

"Além de contribuir para a inserção de jovens no mercado de trabalho, o projeto tem o objetivo de conectar as comunidades, favorecendo a troca de informação e conhecimento entre os moradores do Rio de Janeiro e o mundo", concluiu Tutuca.

Fonte: G1