Hackaton do Banco Original premia projeto de educação financeira para crianças

Por Redação | 05 de Dezembro de 2017 às 11h25

Um projeto de inteligência artificial voltado para a educação financeira das crianças foi o vencedor de uma hackaton promovida pelo Banco Original. O projeto Origininhos utiliza a tecnologia para controlar a mesada dos pequenos de acordo com as tarefas domésticas realizadas, garantindo duas bitcoins para seus desenvolvedores.

Por meio de um aplicativo, os pais podem determinar diferentes atividades para as crianças, como arrumar a cama, fazer a lição de casa ou lavar a louça, por exemplo. Na medida em que as tarefas domésticas vão sendo cumpridas, elas acumulam pontos que, ao final, garantem o depósito de uma mesada em uma conta digital do Banco Original, que pode ser utilizada com um cartão.

Projeto de educação financeira para criança garantiu o primeiro prêmio para os desenvolvedores.

Na medida em que vão crescendo, os pequenos também passam a ter seu perfil analisado, recebendo dicas de poupança e investimentos que servem também para os pais, além de permitir um crescimento no rendimento das crianças. O sistema usa inteligência artificial e tecnologias de reconhecimento de perfis para saber exatamente qual a melhor opção para cada um, de acordo com o fluxo de recebimentos e gastos.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

O uso das moedas virtuais garantiu que esse, também, fosse o maior prêmio já dado em um evento desse tipo no Brasil. No total, 3,5 bitcoins foram distribuídas aos três primeiros colocados, o que, de acordo com a cotação do momento em que esta reportagem é escrita, equivale a mais de R$ 150 mil. Também foi a hackaton com maior número de inscritos, com 450 projetos cadastrados.

Desse total, 80 pessoas foram selecionadas para integrar o evento, além de outras 35 para as atividades de produção, mentoria e avaliação. Entre eles estavam desde empreendedores e diretores de startups até diretores de companhias gigantescas, como a IBM, além de membros do próprio Banco Original, de olho em inovações que podem aumentar o rol de serviços da instituição.

Todo o processo da hackaton do Banco Original foi cordenado pela Shawee, uma startup voltada justamente para a realização desse tipo de evento. A empresa tem uma ferramenta que facilita o gerenciamento das atividades, desde a seleção de participantes até a mentoria e eleição dos vencedores, mas que, principalmente, garante que os projetos de destaque não sejam perdidos ao final da maratona. Tudo é feito de maneira digital, substituindo o que, ironicamente, era feito antes de maneira completamente manual e sem sistema algum.

O projeto Tulipas conquistou o segundo lugar. Alinhado com a própria premiação da maratona, trata-se de um aplicativo que orienta a realização de investimentos com o uso de criptomoedas, dando acesso a cotações e indicadores, bem como desempenho das aplicações já realizadas, de forma que o usuário sempre tenha as melhores informações sobre a utilização de seu dinheiro. Os responsáveis receberam uma unidade de bitcoin.

Em terceiro lugar ficou a Clara, que foi definida pelos criadores como equivalente à Siri, do iOS, só que focada no mercado de investimentos. A assistente virtual, por meio de chat, avalia o comportamento do usuário e dá dicas sobre as melhores opções de aplicação de acordo com seu perfil e objetivos. Os desenvolvedores receberam meia bitcoin pelo trabalho.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.