Equipe brasileira vence competição e receberá consultoria de Satya Nadella

Por Redação | 04.08.2015 às 11:04 - atualizado em 04.08.2015 às 11:33

A equipe de estudantes brasileiros que participou da Imagine Cup, considerada a Copa do Mundo da Computação, conseguiu vencer a disputa com um software que cria roupas personalizadas de forma automática para todo tipo de corpo. A competição realizada na cidade de Seattle, nos Estados Unidos, consagrou os brasileiros, que receberam uma premiação de US$ 50 mil em dinheiro das mãos do CEO da Microsoft, Satya Nadella.

Além da premiação em dinheiro, a equipe conquistou uma consultoria com o cabeça da Microsoft. Os integrantes da equipe eFitFashion conseguiram unir a tecnologia com a moda para conquistar a competição. Daniel Tsuha, 25, e Bianca Letti, 21, são estudantes de Sistemas de Informação, enquanto Juliana Pirani, 26, é estudante de moda. O trio conseguiu unir os atributos necessários para que o projeto fizesse sucesso a ponto de ser o melhor entre todos os avaliados.

Eles passaram três anos trabalhando no projeto antes de serem premiados pela Microsoft. Os alunos da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP receberam ajuda dos professores Luciano Araújo e Isabel Italiano para conseguirem completar o projeto.

O sistema, chamado de "Clothes for me", tem como objetivo principal solucionar um problema que qualquer consumidor que adquire roupas pela internet já deve ter se deparado. Nenhuma peça se ajusta ao corpo perfeitamente. "É uma coisa que a gente brinca muito porque, quando começa a estudar moda, os amigos vêm dizer que não conseguem comprar roupas que sirvam", explica Pirani.

Copa do Mundo da Computação

Apesar do problema parecer simples, ele ganhou notoriedade quando foi mensurado pela Universidade de Minnesota, nos Estados Unidos. Um estudo elaborado pela instituição mostrou que grande parte das pessoas compram roupas que não servem. A pesquisa ainda mostrou que cerca de 85% das mulheres guardam alguma peça de vestuário que estão largas ou apertadas demais.

Com diversas informações em mãos, os alunos resolveram criar o sistema que elabora moldes de roupas. O processo constitui em fazer, de maneira automática, desenhos a partir de informações cedidas pelos usuários. Eles ainda podem escolher enviar o molde da peça de vestuário por e-mail ou ainda encomendar sua confecção. Os jovens também elaboraram o "Clothes for me" para ser oferecido como software de empresas da indústria têxtil. Para provar a eficiência comercial do software, a equipe já havia fechado algumas parcerias com empresas no Brasil.

Uma dessas parcerias ajuda a produzir roupas para pessoas que possuem necessidades especiais. Os cadeirantes recebem calças que são mais fáceis de serem vestidas e as mulheres que passaram por cirurgias de retirada de mama ganham sutiãs especiais com enchimento. De acordo com Pirani, "as pessoas precisam de roupa sob medida, mas é algo caro, difícil de achar". A equipe também já conseguiu um acordo com o Bradesco para a produção de uniformes sob medida para os funcionários da instituição financeira.

O projeto da eFitFashion foi eleito o melhor na categoria inovação. Na categoria games, uma equipe russa foi a vencedora com um quebra-cabeça em 2D. Já na categoria cidadania, jovens australianos criaram um sistema que reproduz a realidade de pessoas com demência e levaram o prêmio para a Oceania. Entre os escolhidos, a equipe brasileira foi eleita a melhor com seu software. Assim, eles ganharão uma chance de participar do Microsoft Ventures, programa de aceleração de startups da gigante de softwares. No entanto, somente os brasileiros poderão tirar dúvidas com o CEO da Microsoft, Satya Nadella, quanto ao negócio.

"Estamos super animados pela oportunidade. São tantas perguntas que precisamos nos organizar para o tempo que teremos com ele, mas queremos entender mais do mundo de 'business', como crescer dentro de um mercado tão competitivo, como transformar a ideia e a inovação em business", disse Pirani. A equipe brasileira tem um ano para marcar seu encontro com Nadella.

Via G1

Fonte: http://g1.globo.com/tecnologia/noticia/2015/08/brasileiros-vencem-copa-do-mundo-da-computacao-e-ganham-us-50-mil.html