Centro de Operações do Rio ganha "incremento" tecnológico para Olimpíadas

Por Igor Lopes | 08 de Julho de 2016 às 17h58

* Do Rio de Janeiro

Às vésperas dos Jogos Olímpicos, o Rio de Janeiro está acertando os últimos detalhes para garantir que tudo aconteça dentro do esperado no período, seja em termos de segurança ou mobilidade urbana. Segundo o Ministério de Turismo, a cidade deverá receber cerca de 700 mil turistas estrangeiros no mês de agosto, um recorde para a capital fluminense.

O Centro de Operações Rio (COR), uma espécie de quartel-general da prefeitura, integra cerca de 30 órgãos (secretarias municipais, estaduais e concessionárias de serviços públicos), e é o responsável por monitorar e otimizar o funcionamento da cidade no dia a dia prevendo e gerenciando, por exemplo, as condições meteorológicas, deslizamentos, enchentes, acidentes e outras situações. Para fazer tudo isso, o centro utiliza alta tecnologia e monitora informações e imagens de 800 câmeras próprias (200 delas serão instaladas até o início dos Jogos e ficarão como legado para a cidade), além de outras 400 de concessionárias de serviços públicos e da Secretaria Estadual de Segurança Pública. Os dados de vários sistemas do município são interconectados e visualizados pelos técnicos em um imenso telão de 65 m2 e 104 monitores FullHD (abaixo).

COR - centro de Operações Rio (Foto: Igor Lopes/Canaltech #theta360 - Spherical Image - RICOH THETA

Essa estrutura já existe desde 2010 e conta, desde seu lançamento, com tecnologia de ponta oferecida por empresas como Cisco, IBM e Motorola. Mas, para as Olimpíadas, o COR ganhou um upgrade. Como patrocinadora dos Jogos Olímpicos 2016, a Cisco se comprometeu a oferecer, junto do pacote de patrocínio, algumas soluções que ficariam como legado para a cidade. Uma delas é a Unidade Móvel COR (UM-COR), uma base remota composta por uma câmera de alta definição e duas maletas recheadas de equipamentos, com alta tecnologia embarcada para atuar em grandes eventos. Por meio da tecnologia Instant Connect, da Cisco, a Unidade Móvel poderá se conectar de qualquer ponto da cidade com os operadores na sede do Centro de Operações, na Cidade Nova, de forma instantânea, confiável e segura. O equipamento possibilita comunicação de voz, dados e vídeo de altíssima qualidade, além de disponibilizar internet WiFi para os usuários que estiverem no local onde o equipamento for instalado. A solução utiliza uma rede de fibras óticas espalhadas pela cidade, comunicação por satélite ou a rede 3G/4G para isso. A solução é inédita no Brasil. "Seu formato compacto permite que ele seja transportado rapidamente para o local do evento. Estamos compartilhando nossa expertise com a Prefeitura do Rio de Janeiro para que a solução atinja todo seu potencial", afirma Nina Lualdi, diretora sênior de Inovação da Cisco na América Latina.

um-cor

Unidade Móvel é composta por duas maletas, cheias de equipamentos de comunicação (Foto: Renan Pagliarusi/Canaltech)

O equipamento já foi utilizado durante um evento-teste da Maratona, no dia 10 de abril. Na ocasião, a Prefeitura precisou interditar várias ruas e avenidas da cidade que nunca haviam sido fechadas. "Em cerca de 30 minutos, conseguimos montar toda a nossa base móvel e já começar a trocar informações com o centro de operações", explica Thompson Leite Pacheco, gerente técnico do IplanRio, empresa que cuida da parte tecnológica da Prefeitura do Rio. "Isso nos garante agilidade em eventos e em momentos de emergência", completa.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.