Aplicativos vão rastrear participantes da Jornada Mundial da Juventude

Por Redação | 23.07.2013 às 13:45 - atualizado em 01.08.2017 às 18:41

Como parte do esquema de segurança criado para a visita do Papa Francisco ao Brasil durante a Jornada Mundial da Juventude 2013, que acontece no Rio de Janeiro até o dia 29 de julho, o Centro Integrado de Gestão de Riscos, instalado na Arquidiocese do Rio, irá rastrear por meio de aplicativos e GPS os participantes e voluntários da JMJ.

O Centro garante que o sistema de monitoramento não interferirá na privacidade dos usuários. "Não saberemos quem são esses peregrinos. Nada de nomes, nada de identidade. Nem o número de telefone teremos. Mas saberemos exatamente onde estão durante os deslocamentos pelo Rio e qual o idioma do telefone", afirmou em entrevista ao Extra Online Cássio Ramos, especialista em gestão de riscos da Módulo Security Solutions, e que desenvolveu o sistema.

A Arquidiocese saberá, por exemplo, se algum dos peregrinos participantes da JMJ entrou em uma favela, qual idioma ele fala e, se perceber que o visitante está correndo risco, poderá entrar em contato autoridades. O recurso está integrado com o aplicativo oficial da Jornada da Juventude, disponível para download gratuito em aparelhos Android e iOS. O sistema ainda ajudará a prefeitura do Rio de Janeiro a coordenar o trânsito local.

Para os voluntários registrados na JMJ, o sistema de rastreamento é mais preciso. O usuário pode ser localizado e identificado pelo Centro, garantindo o envio de mensagens diretamente para o voluntário identificado para solicitar que mude de posição ou realize outras tarefas. E os voluntários também poderão informar o Centro em casos de confusão e acidentes, por exemplo.

O Centro Integrado de Gestão de Riscos deve ser diminuído assim que a Jornada Mundial acabar, mas continuará operando em uma tentativa de criar um canal moderno de contato da Igreja com seus fiéis. A parte dos equipamentos que não será utilizada pelo Centro será encaminhada para a PUC-RJ, em um projeto de desenvolvimento de um campus inteligente. O objetivo também é empregar esse sistema em um projeto futuro para melhorar a gestão de mobilidade urbana.