Tecidos tecnológicos garantem melhor desempenho aos atletas nas Olimpíadas 2012

Por Fernanda Morales | 26 de Julho de 2012 às 19h10
photo_camera Divulgação

O desempenho dos atletas em quadras, pistas e piscinas requer muito treino, técnica e aptidões físicas. Porém, alguns recursos tecnológicos também são usados na hora de ir em busca de novas medalhas.

Os tecidos tecnológicos são produzidos com base em pesquisas feitas por empresas têxteis e grandes universidades ao redor do mundo e visam levar aos competidores roupas mais apropriadas e capazes de evitar o desgaste físico.

A tecnologia empregada em uniformes e maiôs causou muita polêmica na última edição das Olimpíadas, em 2008, na China. Muitos dos resultados nas competições de natação foram classificados como suspeitos devido ao uso de materiais como o poliuretano na fabricação dos uniformes.

Tecidos tecnológicos Brasil Londres 2012

Os tecidos tecnológicos ajudam a manter as condições fisiológicas necessárias para o atleta durante a competição

A Fina (Federação Internacional de Natação) abriu uma investigação na época para avaliar os mais de 100 recordes batidos no esporte devido à utilização dos tecidos tecnológicos. Depois do incidente, a organização decidiu impor algumas regras para o uso do poliuretano em competições dessa categoria como, por exemplo, os uniformes masculinos devem ser do tamanho de uma bermuda convencional e os maiôs femininos têm sua parte de cima limitada até o nível do ombro do atleta.

Muitos especialistas e pesquisadores na área do vestuário defendem que os tecidos inteligentes não são os responsáveis pela melhora no desempenho do atleta durante uma competição, mas eles podem auxiliar nas condições fisiológicas do competidor como a frequência cardíaca e o consumo de oxigênio.

Polêmicas a parte, a edição de 2012 dos Jogos Olímpicos, que acontecem entre os dias 27 de julho e 12 de agosto, em Londres, Inglaterra, contará com tecidos e materiais mais leves, resistentes e de qualidade, sem nenhuma restrição, para compor os uniformes da delegação brasileira.

Os uniformes, criados pela estilista Tatiana Mancini, são compostos por tecidos leves, ventilados, inteligentes e tecnológicos. Além disso, as cores e seus formatos foram criados com base em elementos da cultura nacional. Esse ano a Asics foi a responsável pelo desenvolvimento e design dos uniformes e calçados que serão utilizados por alguns atletas brasileiros de modalidades como tênis, handebol, vôlei e atletismo.

“Queríamos algo que transparecesse brasilidade só de olhar. A ideia foi dar um diferencial ainda maior para as peças através de estampas e cores”, afirmou a estilista por meio de sua assessoria de imprensa.

Os tecidos utilizados na fabricação dos uniformes são compostos em sua maioria por poliamida, algodão e microfibras de poliéster, que garantem conforto, leveza e praticidade, pois são extremamente fáceis de secar.

Além disso, a empresa produtora utilizou um recurso inteligente nas peças, intitulado Hydrology, que é capaz de absorver e gerenciar a quantidade de suor, garantindo assim que esse fator não comprometa a atenção e o desempenho dos atletas durante os jogos.

Para a confecção dos tênis que acompanharão o pessoal do atletismo, do vôlei e do tênis, a empresa estudou com cautela todas as articulações dos pés e calcanhares durante a atividade física para promover menor impacto.

COB + Nike

Os uniformes desenvolvidos pelo COB deverão ser usados por todos os atletas durante as premiações e cerimônias

Todos os modelos são extremamente leves, compreendem as mais de 33 articulações responsáveis pelo movimento e possuem uma camada de gel para evitar que o impacto com o solo comprometa as ligações do atleta, e até venha a lhe causar alguma lesão séria.

As outras modalidades esportivas, que não possuem contrato de patrocínio com nenhuma empresa de materiais esportivos, utilizarão os uniformes desenvolvidos pelo COB (Comitê Olímpico Brasileiro), em parceria com a Nike.

As peças de competição foram desenvolvidas utilizando tecido sustentável, feito com poliéster de garrafas PET reciclado, que garantirá leveza e conforto aos atletas. Além disso, a Nike também desenvolveu os uniformes de viagem, pódio e vila que devem ser utilizados por todos os atletas, sem exceção.

A delegação brasileira é formada ao todo por 259 atletas (136 homens e 123 mulheres), que competem em mais de 32 modalidades esportivas diferentes.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.