SAE Brasil tem início com debate sobre deficiência de mão-de-obra especializada

Por Rafael Romer | 07.10.2013 às 19:15
photo_camera Divulgação/Ruy Hiza/TUGU

Começou nesta segunda-feira (7) a 22ª edição do Congresso SAE Brasil de Tecnologia da Mobilidade, o maior da indústria automobilística do Hemisfério Sul, que promove o encontro de engenheiros, executivos, consultores e acadêmicos para discutir o atual cenário da indústria no país. Com o tema "A Qualificação da Engenharia Brasileira na Busca por Soluções Inovadoras", o evento trará debates sobre as atuais necessidades de uma indústria que, cada vez mais, sofre com a falta de mão-de-obra especializada no país e com desafios como sustentabilidade e mobilidade urbana.

"A falta de engenheiros qualificados é um fato, e a indústria nacional já se depara com este desafio", afirmou o diretor de Logística e Infraestrutura da Mercedes-Benz e presidente do congresso deste ano, Roberto Bastian, durante a abertura do evento. Para ele, o Brasil vive hoje o desafio de se manter competitivo no cenário internacional, que passa hoje por uma revolução de padrões de tecnologia e de competitividade. "Investir no sistema produtivo não é o bastante, é preciso que o capital humano que seja capaz de produzir novos conhecimentos e gerar inovação".

Segundo Bastian, o país se encontra no momento em que é necessário repensar suas políticas de ensino para que sejamos capazes de gerar mais conhecimento acadêmico e profissionais capazes de dar suporte a demanda de indústrias, como a automobilística, no país. "Enquanto outros países como China e Índia formam cinco vezes mais engenheiros do que são formados no nosso país, você começa a se preocupar como sair dessa situação", afirmou em entrevista ao Canaltech Corporate. "É o que a gente está tentando colocar no nosso Congresso".

Entretanto, Bastian destaca a importância de iniciativas como o programa Inovar-Auto, do Governo Federal, que tem como objetivo estimular o investimento tecnológico e o desenvolvimento da indústria automobilística nacional. A estimativa é que até 2015, o programa levante mais de R$ 50 bilhões em investimentos no setor.

O Secretário Estadual dos Transportes de São Paulo, Jurandir Fernandez, também esteve presente na abertura do congresso. "A indústria necessita fundamentalmente de buscar inovação, e nós estamos perdendo um pouco o pique", comenta. "[Precisamos] trazer de volta aquela ansiedade e vocação do engenheiro e fazer com que esse engenheiro venha com espírito forte de empreendedorismo e inovação".

Para o secretário, também é importante que o Brasil retome sua taxa de produtividade, voltando atenção para questões como a inovação, impostos e custo da energia, que atualmente trazem gastos amplos para empresários e industriais que atuam no país. Ele também afirmou que muitas vezes o governo "até atrapalha", reafirmando compromissos de investimento em inovação. "É o mínimo que o setor público pode fazer, além de incomodar o mínimo possível os senhores da iniciativa privada".

O evento terá ainda 21 outros painéis com participações de especialistas de áreas como engenharia aeroespacial, de tráfego, educação, logística, construção civil, agronegócio e sustentabilidade, que discutirão temas e desafios atuais da mobilidade. O congresso também terá um volume maior de sessões técnicas do que suas edições passadas. No total, serão 148 papers apresentados por empresas e universidades, 95% dos quais serão nacionais.

Entre as atrações deste ano, Bastian destaca as simulações de desencarceramento que ocorrerão no congresso, com a participação do Corpo de Bombeiros, que mostrará como é feito o resgate de vítimas de acidentes de trânsito que ficam presas às ferragens de automóveis. O evento contará também com simuladores de veículos para indústrias da agropecuária e construção civil, além de um ônibus elétrico todo desenvolvido no Brasil.

Cerca de 75 empresas também demonstrarão suas novas tecnologias e inovações no pavilhão de exposições do Expo Center Norte. A expectativa é que 10 mil pessoas passem pelo evento até a próxima quarta-feira (9). A entrada é gratuita.