Cerimônia dá início à 15ª edição da Futurecom, no Rio de Janeiro

Por Rafael Romer | 22 de Outubro de 2013 às 02h28
photo_camera Divugação

Foi aberta oficialmente na noite desta segunda-feira (21) a 15ª edição da Futurecom, o maior evento de telecomunicações, TI e Tecnologia da América Latina, realizado no Rio de Janeiro pelo segundo ano consecutivo. “Nós queremos ter um continente latino-americano forte, integrado e pujante”, afirmou Laudalio Veiga Filho, Presidente da Provisuale, empresa organizadora do evento, durante a cerimônia de abertura.

Com a presença de representantes de órgãos reguladores, empresas e de governos do Brasil e de países como Índia, Colômbia e Chile, a solenidade foi apresentada pela jornalista Christiane Pelagio e deu o tom de algumas daquelas que devem ser as principais discussões da edição deste ano da feira, como as recentes denúncias de espionagem sofrida pelo Brasil e a situação da atual infraestrutura de TI do país.

“O que eu quero deixar para as autoridades presentes aqui é que nós temos que investir para dar um serviço melhor para nossos assinantes, nós estamos olhando para nós e esquecendo que quem paga nossa conta são os assinantes”, criticou Luis Alberto Garcia, presidente do Grupo Algar, sugerindo que operadoras de telecomunicação do país fizessem acordos para oferecer melhores operações em regiões que vão além de seus nichos. “Se nós fizermos um trato para que os assinantes tenham o melhor serviço na localidade onde estiverem, nós vamos ganhar muito mais dinheiro como empresas”.

Garcia fez ainda um apelo para que as empresas invistam na renovação de suas infraestruturas externas de rede, que, na sua avaliação “beiram o caos”. “Qualquer cidade, seja pequena, média ou grande, nos postes não cabem mais fios”, afirmou.

Representando o ministro das comunicações Paulo Bernardo, o ministro em exercício Genildo Lins de Albuquerque retomou a questão da espionagem a empresas e ao governo brasileiro durante seu pronunciamento. "Precisamos dar uma resposta para isso", afirmou. "Precisamos proteger nossos cidadãos e empresas contra a curiosidade alheia, que pode trazer prejuízos materiais e pessoais".

O evento segue até a próxima quinta-feira (24), no centro de exposição Rio Centro, na zona oeste da capital carioca. Serão cerca de 340 marcas e expositores de 21 países diferentes presentes no local, além de mais de 330 apresentações de executivos e palestrantes do Brasil, América Latina e de várias partes do mundo nos três dias de evento. No ano passado, a Futurecom recebeu mais de 12 mil pessoas e teve como destaque a discussão da implantação do 4G no Brasil e a preparação do país para os eventos da Copa do Mundo e das Olimpíadas.

O Canaltech já está no Rio de Janeiro e a partir desta terça-feira trará todas as notícias, lançamentos e discussões na Futurecom. Acompanhe!

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.