Campus Party 2012: Sugata Mitra fala sobre a união entre tecnologia e educação

Por André Fogaça | 08 de Fevereiro de 2012 às 11h29

Durante o segundo dia para os campuseiros e primeiro para o público geral, a Campus Party reservou uma participação especial: Sugata Mitra. Este simpático indiano, e também professor, é responsável pela Tecnologia Educacional da Newcastle University, da Inglaterra. Sua passada pelo evento rendeu um bate-papo com jornalistas presentes na coletiva, e claro que o Canaltech estava presente! =)

Para Mitra, a educação deveria ser modificada não apenas na forma como é passada para crianças, mas principalmente em como elas aprendem. Há um grande erro na hierarquia das disciplinas, que priorizam matérias sem qualquer explicação de sua funcionalidade.

Uma alternativa apresentada, e já em testes, é de unir cada vez mais a tecnologia com as crianças e fomentar a curiosidade para que assuntos complicados possam ser discutidos e absorvidos pelo cérebro dos pequenos. Como no caso da trigonometria, que o professor mudou a forma de ensino: em sua tese, os alunos foram apresentados para o iPad e então receberam a missão de descobrir como ele sabe onde está, sozinho.

Após uma breve consulta no Google, de aproximadamente 30 minutos, os alunos apresentaram a conclusão correta: são três satélites que encontram o iPad. Então outra pergunta surgiu, desta vez focando na dúvida de "e qual o motivo de três e não dois ou quatro?". Uma segunda pesquisa foi realizada e as crianças notaram que esta magia se chamava trigonometria. Interessadas, elas descobriram o prazer de aprender a trigonometria para sanar uma dúvida do cotidiano.

Outra proposta, também em testes, é baseada em locais onde a escola não é acessível, muito menos os professores. Para Mitra basta um computador, uma tela grande, conexão banda larga e um só professor. As crianças fuçarão e vão aprender com mais velocidade. Tudo isso acessível em um local público, como um mercado ou praça. O custo final, de apenas um computador ensinando 300 crianças, é baixíssimo.

Questionado sobre o filtro que deverá ser aplicado na pesquisa, no caso do computador público, Mitra foi categórico na presença de um professor com este grande computador. É ele quem deve filtrar o conteúdo, evitando que as crianças aprendam a matar, por exemplo, e não como cultivar grãos ou descobrir como funciona o GPS.

Estas ideias já foram apreciadas na instituição Casa do Zezinho, uma ONG da capital paulista responsável pela educação de crianças da comunidade próxima. Ao final do experimento, todas as crianças demonstraram que apenas com a internet e um instrutor, foram capazes de aprender por si só.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.