Ubisoft e Riot defendem senadora e ex-atleta Leila Barros em carta aberta

Por Rafael Arbulu | 16 de Julho de 2019 às 14h15
(Imagem: Reprodução/Student Brands)

A Riot Games, publisher do jogo League of Legends, e a Ubisoft, empresa francesa por trás da franquia Rainbow Six de jogos, divulgaram carta aberta assinada em conjunto, defendendo as afirmações feitas pela senadora e ex-campeã olímpica Leila Barros (PSB-DF) no início de julho.

Na ocasião, a parlamentar, que é membro da Comissão de Educação, Cultura e Esporte (CE) havia afirmado categoricamente que não enxerga os chamados eSports como atividades desportivas legítimas, rechaçando sobretudo a noção de consideração esportiva para jogos de tiro ou de combate ainda que em caráter fantasioso — tal é o caso das franquia citadas no parágrafo acima, sendo que ambas são mundialmente aclamadas por sua presença no cenário competitivo internacional.

Quer ficar por dentro das melhores notícias de tecnologia do dia? Acesse e se inscreva no nosso novo canal no youtube, o Canaltech News. Todos os dias um resumo das principais notícias do mundo tech para você!

“Vôlei e futebol são competição, não arma ou tiro. Quando nós falamos de esporte, as comunidades esportivas e as entidades foram escutadas nesse relatório? Ninguém foi. Teve audiência? Eu peço desculpas, vou ter que votar não”. A senadora referia-se à votação do projeto de lei do Senado que visa regulamentar os esportes eletrônicos no Brasil (PLS 383/2017, de autoria do senador Roberto Rocha, do PSDB/MA).

A senadora Leila Barros, ex-campeão olímpica de vôlei (Foto: Geraldo Magela/Agência Senado)

As afirmações de Leila eram um eco do posicionamento do também senador Eduardo Girão (Pode/CE), que também votou contra a regulamentação.

A carta das empresas mencionadas defende a posição da senadora Leila Barros, por enxergar que, nas afirmações feitas pela parlamentar, existe o incentivo ao debate. A carta ainda ressalta que as empresas desejam que “todos os envolvidos nesse ecossistema (desenvolvedores, organizadores, jogadores profissionais, clubes e torcedores) possam, de fato, ser ouvidos durante a concepção de normas futuras”.

Leila chegou a se desculpar pelas afirmações feitas durante a sessão de votação, atribuindo a viralização do assunto a uma suposta “má interpretação” de suas frases. Em nota enviada à ESPN em 4 de julho deste ano, a senadora afirmou que pretende instaurar audiência pública de discussão para agregar mais conhecimento de causa e fundamentação à proposta de regulamentação dos eSports no Brasil.

Ela ressaltou, no entanto, que seu entendimento sobre “esporte” é diferente das propostas dos jogos: “Nesses mais de 20 anos que eu exerci minha profissão como atleta e que estive em formação, eu vivi muito o espírito esportivo. Vou dizer pra mim o que é o esporte. O esporte pra mim é perseverança, é foco, é resiliência, é espírito de equipe e é o fair play. Sei que nesses campeonatos a gente vai encontrar isso entre as equipes, entre os profissionai e entre aqueles que estão em competição”, ela afirmou em comunicado.

A carta é assinada por Roberto Iervolino, gerente geral da Riot Games no Brasil. e Bertrand Chaverot, diretor geral da Ubisoft para a América Latina. Você pode ler o documento na íntegra, logo abaixo:

Fonte: SporTV; ESPN

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.