Liga eSports anuncia medidas anti-doping em torneios depois de polêmica

Por Redação | 24.07.2015 às 18:23
photo_camera Google Imagens

A Electronic Sports League (ESL), considerada uma das maiores organizações de eSports do mundo, anunciou que vai começar a policiar o uso de substâncias consideradas ilícitas ou estimulantes em seus campeonatos.

A decisão foi tomada depois que Cory Friesen, jogador profissional de Counter Strike, admitiu que ele e os membros da sua equipe usaram Aderall, um estimulante usado para pessoas com déficit de atenção e hiperatividade, em um torneio na Polônia.

Anna Rozwandowicz, chefe de comunicações do ESL, disse em um email à imprensa que mais detalhes sobre a nova política serão revelados em breve, mas que, por enquanto, está tomando as medidas necessárias para avançar com o projeto de policiamento de drogas, educação e prevenção entre os participantes das competições.

No entanto, Friesen e sua equipe, a Cloud 9, não serão punidos. "Nós não temos nenhuma maneira de saber se Semphis, apesar do que ele falou, realmente tomou Aderall. Não podemos punir alguém se não temos 100% de certeza de que ele é culpado. E como não temos como testá-lo, não vamos tomar medidas neste caso específico", afirmou Rozwandowicz.

A ESL é apenas uma das organizações do eSports, mas uma das mais importantes. E a política anti-doping não cobrirá a liga por completo; organizações como a League of Legends Championship Series (LCS) e a The International (TI), por exemplo, não responderam ao escândalo.

Fonte: Endgaget, Motherboard