Para criador de WarCraft, videogame deveria se tornar um esporte olímpico

Por Redação | 26 de Dezembro de 2014 às 17h21
photo_camera Wallhaven

A Blizzard Entertainment é extremamente conhecida em todo mundo não somente pela qualidade de seus jogos, mas também pela dedicação e importância dada ao cenário competitivo do videogame. Seja organizando torneios próprios, seja fomentando a criação de torneios ao redor do mundo e incentivando sua comunidade de jogadores, a criadora de WarCraft, StarCraft, Diablo e outros clássicos dos games foi uma das responsáveis por consolidar os e-sports em todo o mundo.

Videogame competititvo

Por isso, não é de se surpreender que seus funcionários emitam opiniões a respeito deste cenário. Desta vez o ex-chefe criativo da Blizzard (e um dos responsáveis pela criação de World of WarCraft) Rob Pardo se manifestou: em entrevista à BBC, ele afirma que o e-sport deveria ser considerado um esporte legítimo e fazer parte das Olimpíadas.

"Eu acho que quando você observa os e-sports, percebe que eles exigem uma grande variedade de habilidades competitivas e ao observar os gamers profissionais percebe que seus reflexos são incrivelmente rápidos, pois eles estão tomando decisões muito rapidamente", argumenta Pardo. "Quando você olha para suas ações por minuto elas passam da casa dos 300!", ele completa.

Esportes mentais

Pardo reconhece, entretanto, que há uma barreira cultural e de mentalidade a ser vencida para que os e-sports tenham tal reconhecimento. Para ele, tudo começa com a definição da palavra "Esporte". Segundo os dicionários, um esporte é uma "prática metódica de exercícios físicos, que consistem geralmente em jogos competitivos entre pessoas, ou grupos de pessoas". Como os videogames exigem mais esforço mental do que físico, ele não é muito bem aceito pela comunidade esportiva, o que dificulta a aceitação dos e-sports pelo Comitê Olímpico Internacional (COI).

Videogame competititvo

Até mesmo o xadrez passa por problemas de aceitação por parte do COI por esse mesmo motivo: embora tenha um grande e organizado cenário competitivo e até tenha sido reconhecido como esporte olímpico pelo COI em 2001, o xadrez não tem competições nos Jogos Olímpicos, tendo sua própria olimpíada ocorrendo em separado. Pardo acredita que os e-sports estão no caminho certo para serem considerados um esporte olímpico, inclusive até mesmo impondo programas antidopping em muitas de suas competições.

Sucesso estrondoso

Esporte olímpico ou não, é fato que os e-sports são um sucesso indiscutível: as finais do último torneio do jogo de estratégia StarCraft: BroodWar (cujo desenvolvimento também esteve a cargo de Rob Pardo), que ocorreu na Coreia do Sul, lotaram um estádio com cerca de 40 mil espectadores. Na opinião de Pardo, o videogame competitivo possui um forte apelo visual, o que ajuda a atrair um grande público.

Não por acaso, StarCraft: BroodWar é considerado como um dos jogos responsáveis pelo nascimento e consolidação do cenário competitivo dos videogames, que atualmente se desdobra em diversos jogos, modalidades e competições próprias: torneios como o The International oferecem altas somas de dinheiro como premiação aos competidores de DOTA 2, enquanto eventos como o torneio de games de luta EVO frequentemente proporcionam momentos inesquecíveis.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.