FIFA se considera “extremamente satisfeita” com VAR na Copa

Por Wagner Wakka | 18 de Julho de 2018 às 17h42
photo_camera FIFA

A FIFA se pronunciou nesta quarta-feira (18) sobre a utilização da tecnologia de árbitro de vídeo (VAR, na sigla em inglês) durante a Copa da Mundo na Rússia. Em post oficial em seu site, a Federação deu alguns dados sobre a nova tecnologia na competição e se disse “extremamente satisfeita” com a implementação do novo sistema.

“Depois da decisão fundamental de usar o VAR na Copa do Mundo, a FIFA está extremamente feliz com a esmagadora aceitação do VAR por jogadores, técnicos, fãs e mídia”, diz o comunicado.

De acordo com o Secretário-Geral Adjunto da FIFA, Zvonimir Boban, criador do projeto do VAR, esta aplicação trouxe um “resultado excepcional” e deve mudar a forma como o futebol será jogado nos próximos anos, de forma mais justa.

Participe do nosso GRUPO CANALTECH DE DESCONTOS do Whatsapp e do Facebook e garanta sempre o menor preço em suas compras de produtos de tecnologia.

Segundo a FIFA, nas 64 partidas da competição, foram checados mais 455 incidentes com pelo VAR, constituindo uma média de 7,1 checagens por jogo. Ao todo, a tecnologia resultou em mudanças de fato apenas 20 vezes, ou seja, em 4,39% dos lances duvidosos.

Sinal feito pelo juiz para pedir auxílio do VAR (Foto: FIFA)

Um dos principais lances revisados foi, inclusive, na final da Copa, em que o juiz argentino Nestor Pitana decidiu por dar pênalti para a França após o toque de mão do croata Perisic. A penalidade só foi confirmada após verificação do lance em tela no campo. O jogo consagrou a França campeã da edição com vitória por 4 a 2 contra a Croácia.

Vale lembrar que o juiz só pode contar com auxílio da tecnologia e em casos de dúvida de gol, pênaltis, cartões vermelhos e quando um juiz penaliza o jogador erroneamente.

Além do VAR, os juízes desta Copa também contaram com outras tecnologias. No braço do árbitro, há um relógio inteligente que informa ao juiz quando a bola passa a linha do gol. Neste caso, o aparelho vibra e a palavra GOAL confirma o lance. Esta tecnologia foi utilizada no jogo entre a campeã França contra a Austrália em que um chute do jogador Pogba bateu no travessão e pingou dentro do gol. O árbitro Andres Cunha validou o gol com a vibração no relógio.

Além disso, há um sistema de sete câmeras que mostra se a bola entrou ou não em caso de jogadas suspeitas. Chamada de tecnologia Goal Line, a ferramenta já é utilizada por aqui na Copa do Brasil.

Vai ter VAR no Brasileirão?

Embora tenha sido implementada na maior competição de futebol do mundo e aprovada pela FIFA, a utilização do VAR em jogos nacionais como os do Campeonato Brasileiro ainda deve demorar a acontecer. Isso porque o sistema exige não somente um sistema de câmeras posicionadas no estádio que mostra imagens em tempo real as jogadas, mas um grupo maior de árbitros assistentes.

Fonte: FIFA

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.