Yahoo revelou dados de usuários para governo dos EUA, dizem fontes

Por Redação | 04 de Outubro de 2016 às 14h55

Parece que as complicações do Yahoo com privacidade dos dados de seus usuários não terminou ainda. Novos dados apontam que a companhia norte-americana desenvolveu um sistema customizado para vasculhar todos os emails de seus usuários em busca de informações para as agências de segurança dos Estados Unidos.

Segundo fontes, a empresa atendeu no ano passado à uma diretiva confidencial do governo, varrendo centenas de milhões de contas de emails do Yahoo para oficiais da NSA e FBI. Estas fontes, que eram ligadas ao governo ianque, divulgaram a informação à agência Reuters.

Não foram dados mais detalhes sobre a prática, apenas que agentes queriam que o Yahoo repassasse informações de diversos usuários, buscando determinadas palavras ou expressões em emails ou anexos.

De acordo com alguns especialistas, este é o primeiro caso de uma empresa de internet dos EUA aceitando abertamente uma demanda de uma agência de espionagem para a divulgação de informações de usuários. Outros casos divulgados nos últimos anos envolvia a espionagem em tempo real e vinda de fontes externas, como foi o caso denunciado pelo ex-funcionário da NSA Edward Snowden em 2008.

As fontes não deram informações se outros provedores de internet também concordaram com a demanda. Outras empresa que poderiam ser alvos das investidas das agências espionagem, como Google ou Microsoft, não se manifestaram sobre o caso.

Para completar, a CEO do Yahoo também foi envolvida na encrenca. As fontes alegaram que a executiva foi vista com maus olhos pelas lideranças do conselho ao concordar com a diretiva do governo e todo esse impasse resultou na saída do Chefe de Segurança da Informação da empresa, Alex Stamos, em junho do ano passado.

Em resposta à agência de notícias internacionais, o Yahoo lançou uma nota vaga e breve: "O Yahoo é uma empresa que obedece às leis, e obedecemos às leis dos Estados Unidos", destacou a companhia no comunicado. A NSA, por sua vez, não se pronunciou sobre o assunto.

O caso complica ainda mais a situação para o Yahoo, que já sofreu um grande baque em sua reputação no mês passado, quando saiu a informação que mais de 500 milhões de contas de usuários tinha sido vazadas, a maior brecha de segurança de dados da história.

Fonte: Reuters

Siga o Canaltech no Twitter!

Não perca nenhuma novidade do mundo da tecnologia.