Parlamento Alemão autoriza espionagem via WhatsApp, Telegram e Messenger

Por Redação | 23.06.2017 às 15:52

Desde a última quinta-feira (22), uma nova lei passou a autorizar a interceptação de mensagens trocadas por meio de aplicativos como o WhatsApp, Telegram e Facebook Messenger na Alemanha. A decisão partiu do Parlamento Alemão, sob o argumento de combater o terrorismo.

Com a decisão, os agentes de segurança do país ficam autorizados a espionar conversas particulares de cidadãos, e poderão instalar softwares de espionagem nos smartphones e tablets dos suspeitos, mesmo que eles não tenham autorizado, de fato. Contudo, esses agentes somente poderão fazer a interceptação dessa maneira por meio de uma autorização judicial.

A nova lei alemã também proíbe que as empresas donas desses aplicativos impeçam o monitoramento de conversas ali realizadas. Sendo assim, fica impossível que o Facebook (dono do Messenger e do WhatsApp) tome qualquer providência contra a interceptação.

Além disso, a legislação também amplia as possibilidades de se buscar informações online em computadores de suspeitos. Até então, essa prática era permitida somente no caso de terrorismo, mas, a partir de agora, suspeitos de assassinato, pornografia infantil, tráfico de drogas, sonegação fiscal e falsificação de dinheiro também poderão ser monitorados desta maneira.

Ainda que a interceptação de conversas e o monitoramento de computadores tenham sido aprovados somente quando há suspeitos de praticar esses crimes, movimentos contrários à nova lei acreditam que, ao permitir que as autoridades usem programas de espionagem, ficará mais fácil para os criminosos virtuais terem acesso a esse tipo de ferramenta, o que pode aumentar a vulnerabilidade.

Fonte: DW