Edward Snowden diz para as pessoas não usarem o Allo

Por Redação | 23.09.2016 às 10:39

O Allo já está entre nós e vem atraindo milhares de usuários por causa de seus recursos, sobretudo o Assistant - uma espécie de assistente pessoal que, acredita-se, substituirá o Now. O problema é que o mensageiro vem levantando suspeitas sobre invasão de privacidade, o que foi confirmado por Edward Snowden nesta quinta-feira (22).

O ex-analista da NSA que escancarou para o mundo a vigilância ostensiva dos Estados Unidos chegou à conclusão que o Allo não passa de uma nova tentativa de o governo norte-americano espionar seus usuários. A afirmação reacende um controverso debate sobre privacidade e segurança que aconteceu assim que o Google anunciou o Allo em maio.

À época, a empresa prometeu que o mensageiro seria criptografado e seguro para os usuários. O problema é que alguns funcionários da empresa sugeriram, na mesma ocasião, que os dados enviados e recebidos pelo app seriam armazenados "temporariamente" nos servidores da gigante - embora nenhuma informação de identificação de quem enviou ou recebeu as mensagens fosse mantida.

Tal sugestão levou muita gente a se questionar a respeito das reais intenções do Google com o Allo. Pouco tempo depois, a companhia alegou que seria necessário utilizar o app em Modo Anônimo para que realmente acontecesse a criptografia ponta-a-ponta dos dados, de maneira a impedir a leitura das mensagens até mesmo por ela.

Há pouco tempo, as coisas ficaram ainda mais esquisitas. Foi decidido que o Google passaria a armazenar todas as mensagens que não fossem enviadas em Modo Anônimo, o que já é muito diferente do "armazenar temporariamente". Tal resolução jamais foi divulgada publicamente, e só depois de o Allo ser lançado foi que isso foi descoberto.

É bem verdade que o aplicativo utiliza HTTPS para garantir uma transmissão segura de dados entre os dispositivos. O problema é que isso só dificulta a vida de crackers, não impedindo que os dados sejam armazenados nos datacenters do Google e lidos por quem tenha acesso às máquinas. E Snowden sabe que basta um pedido formal da NSA e do FBI para dar uma "olhadinha" nessas informações para que o governo norte-americano libere a ação e as empresas tenham de abrir suas portas para eles.

Segundo o ex-analista, que vive asilado na Rússia desde 2013, praticamente todos os 1.500 pedidos de interceptação de comunicação das agências de segurança dos EUA foram atendidos pelo governo - o que coloca a todos em risco.

E aí, vai arriscar testar o Allo mesmo assim? Não se importa e já está testando o app? Então conta para gente aqui nos comentários embaixo.

Via Edward Snowden (Twitter), The Verge, TNW