Comando "Ok Google" do Chrome pode funcionar como ferramenta de espionagem

Por Redação | 26.06.2015 às 18:55

Defensores da privacidade e desenvolvedores de código aberto estão expondo a instalação silenciosa de um software do Google que é capaz de acompanhar conversas mantidas por meio de computadores. O primeiro alerta veio de desenvolvedores que utilizam o navegador Chromium – a base de código aberto para o Google Chrome – que perceberam a instalação remota de um código de espionagem de áudio capaz de ouvir o que os usuários falam online.

O software foi projetado para dar suporte ao recurso "Ok, Google" no Chrome, que permite que o navegador responda quando o usuário falar essa frase em voz alta – mas alguns desenvolvedores têm reclamado que ele é ativado nos computadores sem a sua permissão. "Sem o nosso consentimento, o código do Google baixou uma caixa preta que – de acordo com ele mesmo – liga o microfone e escuta ativamente o que está sendo dito", disse Rick Falkvinge, fundador do Partido Pirata, em um post em seu blog. O comando "OK Google" está disponível no Chrome desde 2013.

Rick diz ainda que isso significa que o computador foi configurado para enviar o que está sendo dito no ambiente do usuário para uma empresa privada em outro país sem o consentimento ou conhecimento do usuário. O recurso é instalado por padrão como parte do navegador Google Chrome, mas os defensores do código aberto estão dizendo que isso também está instalando uma variante de código aberto no Chromium, porque o código de escuta é considerado uma "caixa preta", que não faz parte do processo de auditoria do open source. "Nós não sabemos e não temos como saber o que essa caixa preta faz", completa Rick.

Em respostas às queixas, o Google disse: "Apesar de fazer o download do módulo hotword na inicialização, nós não o ativamos a menos que você opte por usar a hotword". O gigante da web diz ainda que "a instalação padrão vai grampear o seu quarto sem o seu consentimento, a menos que você opte por desativar [a hotword] e, mais importante ainda, saiba que você precisa optar por desativar". A empresa diz que um interruptor físico para desativar o microfone e a câmera incorporados na maioria dos computadores é necessário.

O Google, por sua vez, culpou a distribuição Debian do Linux, ao invés do Google Chrome, pelo download do componente que abre automaticamente no Chromium. "A chave aqui é que o Chromium não é um produto do Google. Nós não o distribuimos diretamente ou oferecemos qualquer garantia no que diz respeito ao cumprimento de várias políticas de código aberto", disse um desenvolvedor do Google.

Os recursos de pesquisa por voz se tornaram algo comum nos smartphones, mas a sua inclusão para as casas por meio de Smart TVs, e agora nos navegadores, tem causado preocupações sobre a possibilidade das empresas ouvirem o que é dito dentro de casa. Mas, para acalmar seus usuários, um porta-voz do Google disse:

"Temos certeza que você vai ficar aliviado ao saber que não estamos escutando suas conversas – e nem queremos. Nós estamos simplesmente dando aos usuários do Chrome a capacidade de pesquisar por meio dos seus computadores com as mãos livres, apenas dizendo "Ok, Google" quando estiver na página inicial do Google – e somente se você optar por utilizar esse recurso".

E você, acredita no Google ou prefere desativar o recurso de busca por voz do seu navegador?