Novo documento diz que NSA também monitora transações de cartão de crédito

Por Redação | 17.09.2013 às 15:10

Quando parece que não pode piorar, novas revelações sobre o caso de espionagem do governo norte-americano começam a surgir. Dessa vez, a Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA) é acusada de monitorar transações de cartão de crédito e dados da Sociedade para Telecomunicações Financeiras Interbancárias Globais (SWIFT) – responsável pela padronização de transações financeiras internacionais.

A acusação foi feita pela revista de notícias alemã Der Spiegel, que diz ter conseguido acesso a documentos que comprovam o interesse da NSA nas transações financeiras globais. As informações obtidas originalmente pelo ex-colaborador da NSA, Edward Snowden, mostram que existe um ramo especializado em espionagem financeira na Agência norte-americana chamado "Follow the Money" (em português, "Siga o dinheiro").

As informações coletadas por esse setor são encaminhadas para um banco de dados financeiro da NSA, denominado "Tracfin", que em 2011 continha 180 milhões de registros, dos quais cerca de 84% eram provenientes de transações feitas com cartão de crédito.

Clientes de empresas de cartão de crédito de grande porte, como a VISA, também eram alvo da vigilância, de acordo com documentos da NSA datados de 2010. O objetivo dos analistas da NSA era ter acesso a transações realizadas por clientes da VISA na Europa, Oriente Médio e África. A ideia era "coletar, analisar e ingerir dados de transações das associações de cartão de crédito prioritárias, concentrando-se em regiões geográficas prioritárias", de acordo com o Spiegel.

O banco de dados financeiro da NSA também continha dados da SWIFT, uma rede usada por milhares de bancos para enviar informações sobre transações internacionais com segurança. O SWIFT foi nomeado como um "alvo", segundo os documentos.

Resposta da VISA e da NSA

Procurada pela revista alemã, a VISA emitiu um comunicado onde dizia: "Nós não temos conhecimento de qualquer acesso não autorizado à nossa rede. A VISA leva a sério a segurança dos dados e, em resposta a qualquer tentativa de intrusão, gostaríamos de buscar todos os recursos disponíveis em toda a extensão da lei. Além disso, é política da VISA fornecer informações de transações apenas em resposta a uma intimação ou processo legal válido".

Sem mudar muito seu discurso, a NSA também se manifestou por meio de um comunicado dizendo que o governo dos Estados Unidos apenas adquire informações eletrônicas e financeiras relacionadas com redes terroristas e financiamento do terrorismo. "Essas informações são recolhidas através da regulamentação, aplicação da lei, diplomacia, e os canais de informação, bem como através de empresas que cooperam conosco, aliados e parceiros estrangeiros", diz o comunicado.