NSA espiona quase 200 milhões de SMS todos os dias

Por Redação | 17.01.2014 às 12:39
photo_camera Divulgação

Edward Snowden continua divulgando documentos secretos da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA). Desta vez, os arquivos revelam que o órgão de inteligência coleta, todos os dias, cerca de 200 milhões de mensagens de texto (SMS) enviadas por celulares no mundo inteiro. As informações foram publicadas pelo jornal The Guardian com o TV Channel 4 News.

Segundo a reportagem, a agência recolhe esses dados através de um programa chamado "Dishfire", ativo desde 2011 e capaz de coletar "praticamente tudo o que puder". A NSA, que batizou o programa de "SMS Mensagens de Texto: Uma Mina de Ouro a Explorar", utiliza o sistema para descobrir todo tipo de informação dos usuários, como localizações, redes de contatos, dados de cartões de crédito, planos de viagem e transações financeiras. Os internautas são monitorados mesmo sem nenhuma suspeita criminosa ou terrorista.

Além das mensagens de texto espionadas pelo Dishfire, os arquivos comprovam a existência de um outro programa chamado "Prefer". Neste, vários serviços de celular são vigiados pela agência, incluindo alertas de chamadas não atendidas e textos enviados a partir de roaming internacional – quando o usuário acessa seu smartphone em um país diferente de sua origem.

O jornal alega que, diariamete, o Prefer pode identificar, monitorar e coletar mais de cinco milhões de ligações não atendidas, 1,6 milhões de alertas de rede de roaming, mais de 110 mil nomes de cartões de visita eletrônicos – com a possibilidade de extrair e salvar imagens – e mais de 800 mil transações financeiras efetuadas pelo dispositivo móvel. Além disso, a agência pode descobrir a geolocalização de 76 mil mensagens de texto por dia, incluindo informações que os usuários buscam no celular.

Os documentos revelados nesta quinta-feira (16) chegam um dia depois que Snowden divulgou uma série de arquivos que mostram que a NSA desenvolveu tecnologias que permitem monitorar dispositivos eletrônicos mesmo quando eles estão desligados ou desconectados da internet. O programa em questão é conhecido como "Quantum" e utiliza sinais de ondas de rádio para vigiar as máquinas – cerca de 100 mil computadores em todo o mundo possuem instalado o mecanismo que permite a espionagem.

Em comunicado ao The Guardian, a NSA afirmou ser falsa qualquer afirmação dizendo que toda coleta de dados realizada ocorre de forma arbitrária, e que os programas de vigilância só operam contra "alvos estrangeiros válidos". A agência ainda disse que trabalha diariamente para "remover dados alheios de cidadãos estrangeiros inocentes" quando as informações são coletadas.

O presidente Barack Obama vai divulgar hoje (17) a reforma do sistema de monitoramento dos EUA, que deve conciliar a segurança online com o direito à privacidade dos usuários e líderes mundiais – entre eles a presidente Dilma Rousseff, que também foi alvo da inteligência norte-americana e até cancelou uma visita de Estado a Washington no ano passado após o ocorrido.