NSA espiona e armazena 100% das ligações telefônicas feitas em um país

Por Redação | 18.03.2014 às 17:52
photo_camera Divulgação

O ex-técnico da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos, Edward Snowden, continua divulgando documentos que relatam ainda mais o esquema de espionagem da entidade norte-americana. Agora, em uma nova leva de arquivos publicados pelo jornal The Washington Post, o ex-agente revela o órgão é capaz de monitorar 100% das ligações telefônicas feitas em um país e armazená-las por tempo indeterminado.

A notícia por si só já é preocupante, mas o que torna a informação ainda mais crítica é que, segundo Snowden, a NSA está fazendo isso atualmente em um país, que não teve o nome revelado pelo jornal por questão de segurança nacional. Além disso, a publicação afirma que outras seis nações podem ter suas chamadas telefônicas monitoradas em breve.

Para conseguir vigiar todas as ligações, a NSA criou em 2009 um programa chamado MYSTIC. Desde 2011, uma ferramenta dentro desse programa conhecida como RETRO opera em capacidade máxima e pode gravar as chamadas feitas em um único país. Os documentos mostram que os arquivos com bilhões de gravações podem ficar armazenados por até 30 dias e que, ao término desse período, as velhas ligações são substituídas conforme novas são colocadas no sistema.

Os arquivos divulgados por Snowden dizem que o RETRO é tão avançado que pode recuperar até mesmo os "sons que não foram escutados no momento da chamada original", ou ainda ligações de pessoas que não tenham sido apontadas como alvos da vigilância – principalmente terroristas. Basicamente, isso significa que cidadãos comuns, mesmo sob nenhuma suspeita, podem ter tido suas chamadas monitoradas pela agência. Como se tudo isso não bastasse, o banco de dados contendo todas as ligações pode ser acessado por outras agências de inteligência dos EUA além da NSA.

MYSTIC

Anteriormente, a entidade havia declarado que sim, tinha acesso a dados das chamadas dos usuários, mas que sabia apenas informações como duração da ligação e números discados, não ao conteúdo de todas elas. O emblema do MYSTIC exibe o desenho animado de um feiticeiro com um telefone preso a um cajado.

Sobre o caso, Caitlin Hayden, uma porta-voz do Conselho de Segurança Nacional dos Estados Unidos, disse que não vai comentar sobre "supostas atividades específicas de inteligência", e que "novas ameaças" são "muitas vezes escondidas dentro do grande e complexo sistema de comunicações dos EUA", o que leva os órgãos de inteligência do governo a "coletar informações em massa a fim de identificar essas ameaças".

O Washington Post relata que, com base em análises internas de pessoas envolvidas no RETRO, a NSA já estuda a possibilidade de levar a ferramenta de espionagem para outros países. Até o momento, pelo menos cinco nações estão na mira da agência, que poderá interceptar e armazenar bilhões de chamadas telefônicas.