Microfones dos aparelhos Android podem ser usados para espionagem, diz ex-agente

Por Redação | 05.08.2013 às 16:34

Seguindo as discussões em torno dos documentos do programa de espionagem eletrônica PRISM vazados por Edward Snowden, uma nova reportagem do The Wall Street Journal, que consultou ex-agentes e pessoas próximas ao FBI, afirma que os microfones dos aparelhos equipados com Android podem ser usados para espionar suspeitos.

A informação vem de diversas fontes com conhecimento sobre os métodos de espionagem que as agências norte-americanas utilizam para captar dados na esfera cibernética, bem como de documentos judiciais que revelam algumas dessas ferramentas. Segundo as fontes consultadas pela reportagem, o uso de spyware e outros softwares similares mediante ordem judicial tem aumentado.

Segundo essas fontes, a espionagem governamental utiliza diversos métodos diferentes, incluindo spywares em desktops e dispositivos móveis enviados por e-mail ou por links maliciosos. Um ex-agente do governo norte-americano afirmou também que o FBI utiliza uma tecnologia capaz de ativar remotamente os microfones dos aparelhos Android para gravar conversas telefônicas de suspeitos.

A reportagem afirma que as ferramentas de espionagem são desenvolvidas tanto pelo setor privado quanto internamente, e que o FBI estaria trabalhando em ferramentas de espionagem e de hacking "há mais de uma década". As fontes ainda dizem que o FBI utiliza bugs na web e contrata pessoas com habilidades para hackear. Essas tecnologias seriam usadas na maioria dos casos para investigar terrorismo, crime organizado e pornografia infantil.