Governo brasileiro não descarta oferecer asilo político a Edward Snowden

Por Redação | 03.06.2014 às 13:40 - atualizado em 04.06.2014 às 03:34
photo_camera Divulgação

A entrevista que Edward Snowden concedeu ao programa Fantástico no último domingo (1) ainda gera repercussão. Um dos principais pontos da conversa com o ex-técnico da Agência de Segurança Nacional (NSA) dos Estados Unidos foi quando ele afirmou que adoraria morar no Brasil e que aceitaria ser asilado no país, já que seu asilo político temporário na Rússia termina em agosto.

Snowden disse que chegou a enviar um pedido de asilo ao governo brasileiro, em julho do ano passado, mas que não obteve resposta. No entanto, parece que as recentes declarações de Snowden causaram uma certa confusão. De acordo com o G1, o ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo, voltou a negar nesta segunda-feira (2) que o homem mais procurado do mundo tenha pedido asilo ao Brasil.

A questão é que o pedido não foi feito

recentemente

, como o próprio Snowden disse na entrevista. "Quando eu estava no aeroporto [em Sheremetyevo, na Rússia], mandei um pedido a vários países. O Brasil foi um deles. Foi um pedido formal", revelou. Na época, o Itamaraty confirmou que recebeu o pedido, mas negou conceder asilo em território nacional. Meses depois, o governo reforçou sua decisão em não responder ao pedido porque não iria entrar num jogo de troca a fim de receber informações sobre a ação da NSA no Brasil.

Outro detalhe é que Figueiredo só virou ministro das Relações Exteriores em agosto – anteriormente, ele era representante permanente do Brasil na ONU. Mesmo assim, ele repete que Snowden não pediu asilo no país. Desde que as denúncias de Snowden foram publicadas, o Ministério das Relações Exteriores tem informado à imprensa que o ex-agente jamais formalizou pedido de asilo ao Brasil.

Por outro lado, a proposta de asilo a Snowden não está totalmente descartada. "Não é uma resposta que se dê com um 'sim' ou 'não'. Se chegar o pedido, será analisado, mas não chegou", disse Figueiredo a jornalistas nesta segunda, ao chegar ao Palácio do Itamaraty. Ou seja, se Snowden quer mesmo morar no Brasil, só precisa fazer um pedido formal e aguardar a resposta do governo.

Edward Snowden vive há dez meses asilado em Moscou, capital da Rússia, em um lugar que nem seus amigos mais próximos sabem. O norte-americano ganhou notoriedade mundial ao revelar o gigantesco esquema de monitoramento online da NSA sobre vários países. Acredita-se que ele tenha se apropriado de 1,7 milhão de documentos secretos que reuniam informações sobre e-mails, telefonemas e o uso da internet por milhões de pessoas em todo o mundo, até mesmo de diplomatas como a chanceler alemã Angela Merkel e a presidente Dilma Rousseff.

Em todo caso, Snowden já afirmou que nunca revelaria informações em troca de asilo no Brasil. "Se o governo brasileiro quiser defender os direitos humanos, será uma honra para mim fazer parte disso", disse. "Eu nunca vou trocar informações por asilo, e também não acredito que o governo brasileiro faria isso. Uma concessão de asilo deve sempre ser uma decisão puramente humanitária, e a carta foi bastante clara a esse respeito: eu nunca vou cooperar com ninguém fora do devido sistema legal".

No ano passado, alguns políticos se mobilizaram para pressionar o Senado por um asilo permanente ao ex-técnico da inteligência americana. David Miranda, companheiro do jornalista Glenn Greenwald – que ajudou Snowden a divulgar os documentos da NSA –, até criou uma petição online para oficializar o pedido à presidente Dilma. O documentou já possui mais de 1,1 milhão de assinaturas.