Documentos obtidos pela EFF mostram que espionagem da NSA foi ainda mais grave

Por Redação | 11.09.2013 às 08:15
photo_camera CNET

Como se já não bastasse o escopo do que já foi revelado sobre as operações de espionagem da NSA, novos documentos, obtidos depois de pedido oficial da Eletronic Frontier Foundation (EFF), mostram que o programa tem um alcance ainda maior do que o pensado. De acordo com os arquivos, liberados por ordem de uma corte judicial, a agência de segurança nacional vasculhou ilegalmente centenas de milhares de telefones privados de cidadãos norte-americanos, sem para isso contar com nenhum tipo de autorização de tribunais.

Existem regras a respeito de como a NSA poderia usar esses dados, mas os arquivos secretos mostram que a agência vem desrespeitando solenemente as decisões desde 2006, quando o programa de monitoramento entrou no cenário. Os documentos mostram que as violações da privacidade telefônica seguiu forte por três anos, até que foi contestada internamente e teve dificuldades de se manter.

Antigamente classificados como ‘top secret’, os documentos foram escritos pelo chamado Tribunal de Vigilância de Inteligência Estrangeira (sim, esse órgão existe) e revelados hoje pela administração de Barack Obama, que seguiu um pedido, baseado no Freedom of Information Act, a lei norte-americana de acesso a informação, lançado pela Eletronic Frontier Foundation (EFF). A EFF é o maior grupo de defesa dos direitos dos usuários de mídias eletrônicas em todo o mundo, se notorizando por defender causas como a privacidade, o hacktivismo e por apoiar os recentes vazamentos de arquivos confidenciais, primeiro via Wikileaks e agora com o caso Edward Snowden.

“Incrivelmente, agentes de inteligência disseram hoje que ninguém na NSA entendia completamente como o sistema de vigilância funcionava, logo eles não saberiam exatamente como explicá-lo. É uma afirmação de tirar o fòlego… O aparato de espionagem da NSA foi, por anos, tão complexo que nenhuma pessoa lá dentro podia comprendê-lo por inteiro”, disse Trevor Timm, ativista da EFF, à Wired.

As revelações reforçam as denúncias que estão sendo feitas pelo jornalista norte-americano Glenn Greenwald, com base nos documentos e informações obtidos pelo ex-técnico da casa, Edward Snowden. Se quiser conferir pessoalmente a gravidade contida nos arquivos liberados, a EFF postou links para todos eles em seu site.