Como se proteger do programa de espionagem PRISM: dicas (quase) impossíveis

Por Redação | 08 de Julho de 2013 às 12h56
photo_camera PC World

A revelação de uma série de documentos sigilosos da Agência Nacional de Segurança (NSA) dos Estados Unidos sobre a operação de espionagem eletrônica PRISM deixou milhares de pessoas ao redor do mundo preocupadas com o que acontece com seus dados. O programa foi revelado no último mês pelo jornal The Guardian com base nos dados coletados por Edward Snowden, ex-funcionário da agência.

Aparentemente, a NSA conta com o auxílio de grandes empresas de tecnologia e telecomunicações para monitorar as atividades dos norte-americanos e também de diversas pessoas ao redor do mundo. Informações indicam que empresas como Google, Microsoft, Apple e Facebook garantem acesso a seus servidores para agentes da NSA, no entanto, as empresas negam participação no esquema de espionagem.

Saiba mais: Governo cobrará explicações dos EUA sobre espionagem no Brasil

Mas, será que é possível manter seus dados seguros mesmo com toda a vigilância? O pessoal do PC World preparou uma lista com algumas dicas para proteger seu computador de possíveis espionagens. Confira abaixo e veja se você seria capaz de se esconder das autoridades de segurança.

Evite o uso de serviços populares na Web

Se você está preocupado com o que as agências de inteligência coletam através da internet, a principal dica é evitar o uso de serviços populares na rede. Com isso, os usuários deveriam deixar de usar buscadores como Bing e Google, que costumam registrar seu histórico de busca, e deveriam escolher opções menos visadas como é o caso do buscador DuckDuckGo, que promete não armazenar o histórico de navegação dos usuários.

As pessoas teriam que se livrar de suas contas no Gmail e Hotmail, por exemplo, para evitar a coleta de seus dados. E também teriam que deixar de usar navegadores como Google Chrome, Internet Explorer, Mozilla Firefox ou Safari.

Livre-se do seu smartphone

Considerando a informação de que empresas como Google, Apple e Microsoft têm seus sistemas monitorados pelo governo norte-americano, então a dica para você manter seus dados em segurança é se livrar do seu smartphone. Muitos dos serviços disponíveis para esses aparelhos solicitam a localização dos usuários com o objetivo de oferecer melhores resultados. Mesmo não sendo 100% seguros, os feature phones, que têm apenas acesso à internet, podem evitar que grandes quantidades de dados sejam coletadas.

Criptografia, criptografia, criptografia

No mundo atual, em algum dado momento você precisará se comunicar com alguém através dos meios eletrônicos. Para que suas conversas sejam mantidas no âmbito privado, a dica é começar a utilizar a criptografia em seus documentos.

Os internautas podem criptografar e-mails para evitar que as conversas particulares acabem nos arquivos do PRISM. A dica é realizar a criptografia de três elementos distintos: a conexão do seu provedor de e-mail; mensagens atuais; e suas mensagens arquivadas ou armazenadas em cache. Os e-mails "viajam" por toda a internet, o que os tornam ainda mais vulneráveis.

Assine uma VPN (Virtual Private Network)

Outra dica para manter seus dados em sigilo é assinar uma rede VPN (Virtual Private Network), que cria um "túnel" de comunicação criptografado direto para um outro servidor que atua como um agente em seu nome. O sistema é capaz de garantir um pouco mais de segurança para sua navegação devido às camadas de dados criptografados, mas vale ressaltar que o desempenho do seu computador pode ser comprometido por causa da canalização de informações.

Cuidado com hotspots

Quando estamos circulando com nossos dispositivos móveis acessando hotspots distintos, o endereço de IP do aparelho pode variar e isso pode garantir uma camada de segurança a mais para os seus dados. No entanto, os usuários devem estar atentos e se certificar de que ninguém está tentando acessar remotamente seu computador.

Bloqueie malware

Obviamente, a primeira linha de defesa de qualquer computador contra ameaças externas é o bloqueio de vírus e malware. Por isso, sempre mantenha seu antivírus atualizado e realize periodicamente escaneamentos do sistema para se prevenir.

Proteja o computador com uma senha forte

A última medida que o usuário deve ter para proteger seu computador e documentos criptografados, sem dúvida, é a criação de uma senha forte, fácil de ser lembrada, mas impossível de ser crackeada. A melhor forma de criar senhas seguras é utilizar alguns geradores de senhas como o LastPass.

Essas dicas não devem proteger seus documentos e conversas por completo do complexo sistema de espionagem eletrônica dos Estados Unidos, mas com certeza são medidas que podem te ajudar a ficar mais tranquilo quanto aos seus dados.

Canaltech no Facebook

Mais de 370K likes. Curta nossa página você!