As ameaças de espionagem em dispositivos móveis

Por André Carraretto

Há alguns anos, a única função de um celular era receber e fazer telefonemas. Hoje, a evolução desses equipamentos permitiu o constante acesso a e-mails, redes sociais, jogos e à nuvem, o que faz com que sejam escolhidos pelos usuários por trazer facilidades nas atividades cotidianas, principalmente ligadas à Internet. Entretanto, tais aplicativos ampliam também o risco de vazamento de dados e de espionagem, que cresce cada vez mais no país. De acordo com uma pesquisa da Symantec, 57% dos usuários de smartphones no Brasil foram vítimas de crime virtual.

Um dos maiores riscos que existem hoje são os spywares para dispositivos móveis, que são aplicativos que permitem observar comunicações e atividades online e roubar informações a partir de um smartphone ou tablet. Cada vez mais disponíveis no mercado virtual, a venda desses programas é simples, já que suas funcionalidades atraem a curiosidade do usuário final, que os compram sem realmente saber o que está por trás do aplicativo.

E os riscos da instalação e uso desses softwares são vários. Vão desde o monitoramento da geolocalização até a obtenção de credenciais de acesso a contas de e-mail e redes sociais. Além disso, também permitem rastrear mensagens trocadas por aplicativos como WhatsApp, Viber e Snapchat, ligar e desligar a câmera e o microfone, além de fazer e bloquear ligações, por exemplo.

A preocupação com o tema é grande e, nos EUA, já levou desenvolvedores a Departamentos de Justiça do país. O criador de um dos spywares mais famosos, por exemplo, foi condenado a pagar uma multa de US$500 mil e a entregar o código-fonte de seu aplicativo. Entretanto, apesar de esse ser um resultado importante, já que é a primeira condenação penal sobre um spyware móvel, ainda há um longo caminho para se livrar totalmente de tais ameaças.

Diante desse cenário complexo, é necessário proteger os dados e comportamentos digitais em todos os dispositivos que tem acesso às informações dos usuários. Por isso, a escolha de uma solução de segurança é essencial para garantir a segurança virtual, além da adoção de comportamentos seguros no ambiente online.

  • Fique atento a ofertas de softwares que oferecem o monitoramento de aparelhos e certifique-se que ele provém de uma fonte confiável, caso tenha de baixar o app;
  • Evite deixar o dispositivo móvel em lugares onde pessoas mal-intencionadas poderiam acessá-los e instalar programas maliciosos. Cibercriminosos precisam de apenas alguns minutos para instalar o spyware no dispositivo;
  • Mantenha um backup dos dados de seu dispositivo móvel, em caso de necessidade de restaurá-lo;
  • Use uma senha forte para bloquear o seu dispositivo móvel e não divulgue a senha a terceiros;
  • Verifique se os serviços online que você utiliza (redes sociais, email, etc) possuem a opção de ativar um segundo fator de autenticação. Caso possuam, siga as instruções para ativação.
  • Somente permita a administração remota dos dispositivos a partir da Internet se ela realmente for necessária;
  • Nunca clique em links suspeitos que chegam por e-mail, redes sociais e SMS.