Apple nega qualquer envolvimento com suposto app da NSA que bisbilhota iPhones

Por Redação | 06 de Janeiro de 2014 às 15h31

"A Apple nunca trabalhou com a NSA", é assim que a Maçã inicia o comunicado enviado ao TechCrunch para desmentir qualquer envolvimento com o DROPOUTJEEP, um app supostamente desenvolvido pela Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos, a NSA, para coletar dados e monitorar os usuários do iPhone.

"A Apple nunca trabalhou com a NSA para criar qualquer software backdoor para qualquer um dos nossos produtos, incluindo o iPhone, e não tem conhecimento sobre qualquer aplicativo da NSA voltado para os nossos produtos. Nos importamos profundamente com a privacidade e segurança dos nossos usuários. Nossas equipes estão trabalhando continuamente para tornar nossos produtos ainda mais seguros e garantir que nossos consumidores sempre tenham à sua disposição o que há de melhor. Sempre que sabemos de qualquer tentativa de enfraquecer nossos sistemas de segurança, fazemos uma investigação e tomamos as medidas cabíveis para proteger nossos consumidores. Continuaremos a utilizar todos os nossos recursos para estar à frente de hackers maliciosos e defender nossos usuários dos ataques de segurança, independente de quem esteja por trás deles".

O comunicado surgiu após a revista alemã Der Spiegel noticiar que uma unidade secreta da NSA desenvolveu um processo e um programa especializados para se infiltrar e controlar alguns dispositivos de computação, inclusive smartphones. A matéria ainda trouxe um documento da NSA datado de 2008 que descreve as funcionalidades e capacidades do aplicativo. Entre várias delas, a possibilidade de extrair mensagens de texto, lista de contatos, localização do telefone e captura de voz e imagens sem consentimento do usuário para enviá-los à agência.

Em uma das passagens do documento, a NSA afirma ter obtido "100% de sucesso" em bisbilhotar "qualquer" iPhone. Consultado, Jacob Applebaum, um dos co-autores do documento, disse ao TechCrunch que a marca de "100% de sucesso" só foi alcançada graças à cooperação da Apple.

A afirmação bate com a descrição que diz que o DROPOUTJEEP não poderia ser instalado remotamente e, para isso, teria que ser instalado com o aparelho em mãos. O que leva a crer que a única capaz de fazer isso, à época, era a Apple ainda na linha de produção do iPhone.

Procurada, a NSA não se pronunciou sobre qualquer alegação específica e se restringiu a dizer que seu interesse "em qualquer tecnologia é impulsionado pelo uso dessa tecnologia em alvos de inteligência estrangeiros". "Os Estados Unidos perseguem sua missão de intelgiência com cuidado para garantir que os usuários inocentes dessas mesmas tecnologias não sejam afetados", acrescentou a agência.

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.