Aplicativo "dedo duro" entrega quando governos estão espionando seu computador

Por Redação | 20 de Novembro de 2014 às 13h27
photo_camera Divulgação

A Anistia Internacional quer “dedurar” as tentativas de espionagem de governos e autoridades e para isso está lançando o Detekt. O software, que é gratuito e de código aberto, realiza varreduras no computador dos usuários em busca de aplicações, malwares e outros softwares que podem ser usados por governos e outras autoridades para coleta de dados e espionagem ostensiva.

O aplicativo só funciona no Windows e tem como foco os jornalistas, que, de acordo com a organização, estão entre os mais afetados por esse tipo de prática. E-mails, reportagens e até mesmo comunicações pessoais estariam sendo interceptadas por órgãos governamentais sem o menor pudor, com as autoridades também sendo capazes de ligar webcams e microfones para gravar áudio e vídeo sem o conhecimento dos usuários.

Desenvolvido pelo alemão especialista em segurança Claudio Guarnieri, o Detekt é capaz de localizar centenas de aplicações de vigilância e espionagem, indicando ao usuário exatamente quais delas estão entranhadas no computador. O lançamento conta com a parceria da Electronic Frontier Foundation (EFF) e de organizações de proteção à privacidade como a Digitale Gessellschaft, da Alemanha, e a Privacy International, do Reino Unido. As informações são do site CNET.

Por mais que garanta a eficácia de sua aplicação, a própria Anistia Internacional sabe que ela tem um curto prazo de validade. Segundo o órgão, desenvolvedores de soluções desse tipo devem agir rapidamente para atualizar seus softwares de forma que eles evitem a detecção. Além disso, também há soluções de vigilância ostensiva que ainda são desconhecidas do público e, sendo assim, seria impossível indicar a existência delas nos computadores. Ainda assim, a iniciativa é um grande passo rumo a proteção da privacidade e dos direitos dos usuários de internet.

As organizações responsáveis pelo lançamento do software também indicam o que fazer caso algum spyware seja encontrado no computador. Nesse caso, a Anistia Internacional afirma que o ideal é desconectar imediatamente a máquina da internet e buscar ajuda especializada. Caso esse pedido seja feito por meios digitais, o ideal é utilizar um dispositivo novo, ou desconhecido, e fora da rede à qual você normalmente está utilizando. Assim, as chances de que os responsáveis pela espionagem saibam que você os descobriu serão reduzidas.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.