O céu não é o limite | Galhos em Marte, sinal galáctico, BR no espaço e mais!

O céu não é o limite | Galhos em Marte, sinal galáctico, BR no espaço e mais!

Por Rafael Rigues | 11 de Junho de 2022 às 20h00
Reprodução

Objetos estranhos em Marte, um sinal misterioso vindo de uma galáxia distante e a viagem do primeiro turista espacial brasileiro são alguns dos temas que foram destaque recente na astronomia e espaço. Sabia que quase mandamos um pão de queijo para o espaço?

Sem mais delongas, confira essas e outras notícias que agitaram a semana.

Galhos em Marte?

Não faltam imagens de formações curiosas em Marte registradas pelos muitos satélites e rovers que enviamos ao planeta. Da famosa “face” até a mais recente “porta alienígena”, parece que para qualquer lugar que um robô olha há algum item familiar à nossa frente.

"Galhos" seriam o recheio de fraturas em rochas que foram erodidas há muito tempo. Imagem: Nasa/JPL

É o caso desta curiosa foto de “galhos”, feita em 15 de maio pela Mastcam do rover Curiosity. Segundo o Instituto SETI (Search for Extra-Terrestrial Intelligence) eles são provavelmente o “recheio cimentado” de antigas fraturas em uma rocha sedimentar. "O resto da rocha era feito de material mais macio e foi erodido", diz a organização. Então o que sobrou foi o material das fraturas, solidificado ao longo do tempo.

Sinal misterioso em uma galáxia muito, muito distante

Uma nova rajada rápida de rádio (ou “FRB”, na sigla em inglês) foi encontrada por astrônomos. Batizada de FRB 190520B, ela tem sua origem em uma galáxia anã pobre em metais, a, a 3 bilhões de anos-luz de nós.

A região da FRB 190520 em luz visível (Imagem: Reprodução/Niu, et al.; Bill Saxton, NRAO/AUI/NSF; CFHT)

O sinal é muito similar ao da primeira rajada do tipo, chamada FRB 121102A, mas ainda assim há diferenças. “Isso levanta algumas questões importantes”, destacou Casey Law, do Instituto de Tecnologia da Califórnia (CalTech), entre elas a possibilidade de que ambas sejam dois tipos diferentes de FRBs.

Qual a sensação de ir ao espaço?

Um dos dois únicos brasileiros que podem responder a essa pergunta é Victor Hespanha, que embarcou em uma viagem suborbital no último sábado (4), a bordo de um foguete da Blue Origin, com mais cinco companheiros de viagem.

“Você sai de um barulho alto, de uma pressão alta, pro silêncio absoluto e sem pressão; você não sente o corpo, parece que saiu dele, é a sensação mais diferente. É difícil de explicar, porque não é parecido com nada”, relatou Victor. Saiba mais sobre a viagem, e a ideia de enviar um pão de queijo ao espaço, nesta entrevista de nosso mais novo astronauta ao CanalTech.

Dunas em Marte

O planeta vermelho tem extensos campos de dunas, formados pela ação do vento que empurra partículas de poeira em uma só direção. Este movimento é monitorado pela câmera HiRISE (High Resolution Imaging Experiment), da sonda Mars Reconnaissance Orbiter (MRO). A nave está na órbita do Planeta Vermelho desde 2006, e a equipe da missão publicou no Twitter uma foto recente capturada por ela.

“Quem não gosta de uma imagem de dunas em 3D?”, escreveram os membros da equipe da HiRISE na publicação da foto, no Twitter. “Preste atenção ao ‘fio’ de areia no lado direito da foto. É interessante como isso pode ter se formado”, destacaram.

Starlink, a nova geração

Para a SpaceX, não basta ter mais de 2 mil satélites da rede de banda larga Starlink em órbita da Terra. A empresa já está ocupada projetando uma segunda geração de satélites, maior e com mais recursos. Um satélite Starlink atual pesa cerca de 300 Kg, mas os novos modelos pesarão mais de quatro vezes mais, chegando a 1.320 Kg.

Com isso, o único veículo capaz de lançá-los será a “dupla” Starship e Super Heavy, o foguete e espaçonave que atualmente estão sendo desenvolvidos pela SpaceX. O CEO da empresa, Elon Musk, divulgou uma animação de uma apresentação interna que mostra como será o processo. Segundo os internautas, parece um “Pez”, o “porta-balas” popular entre as crianças nos EUA.

Treinamento em dia

O Centro de Lançamento de Alcântara (CLA), no Maranhão, lançou um Foguete de Treinamento Básico (FTB) às 17h35 do dia 1º de junho. A atividade foi parte da Operação Falcão I/2022 e serviu para validar todos os meios operacionais e logísticos do Centro para futuros lançamentos oficiais a partir dele.

O Coordenador de Segmento Solo da Agência Espacial Brasileira (AEB), Carlos Eduardo de Oliveira, explicou que o lançamento de treinamento serve para manter as equipes técnicas focadas nas atividades que serão necessárias quando as operações com parceiros começarem, inclusive operações com parceiros comerciais anunciadas em Abril deste ano.

Visita cancelada

A Coreia do Sul anunciou o cancelamento de uma missão que enviaria uma espaçonave para visitar o asteroide Apophis durante sua aproximação da Terra em 2029. Segundo Shin Won-sik, funcionário do Ministério da Ciência, os atuais recursos de fabricação de foguetes e de naves espaciais do país não permitem lançar uma sonda antes de 2027 — o tempo limite para a missão alcançar o asteroide em 2029.

?rel=0&hd=0" width="640" height="385" frameborder="0" allowfullscreen="1">

Outras missões espaciais do país foram mantidas, entre elas o lançamento de seu primeiro satélite lunar, que está programado para o dia 3 de Agosto, a bordo de um foguete Falcon 9 da SpaceX, partindo da Estação da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida.

Leia também

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.