Novo exoplaneta gasoso é encontrado na órbita de uma estrela anã

Novo exoplaneta gasoso é encontrado na órbita de uma estrela anã

Por Danielle Cassita | Editado por Patrícia Gnipper | 19 de Outubro de 2021 às 13h10
ESA/ATG

Em um novo estudo, um grupo internacional de astrônomos liderado por Tianjun Gan, da Tsinghua University, na China, detectou um novo exoplaneta. Trata-se do TOI-530b, um mundo apenas 17% menor que Júpiter que orbita uma estrela anã do tipo M. A descoberta aconteceu com o telescópio Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), da NASA, e o planeta pode ser valioso para estudos futuros sobre a formação e evolução de mundos similares.

Atualmente, o TESS está realizando um levantamento de aproximadamente 200 mil das estrelas mais brilhantes e próximas do Sol para tentar encontrar planetas na órbita delas — até o momento, já foram identificados mais de 4.500 candidatos a exoplanetas e, deste total, 159 foram confirmados. Já neste estudo, o grupo confirmou a existência de um novo objeto de interesse do TESS, monitorado pelo telescópio. 

Dados de fotometria da estrela TOI-530 (Imagem: Reprodução/Gan et al., 2021.)

Eles anunciaram a ocorrência de um sinal de trânsito, identificado na curva de luz da estrela TOI-530, uma anã do tipo M. Graças a observações de acompanhamento, foi possível confirmar que o sinal identificado tinha, de fato, natureza planetária. “Verificamos a natureza planetária dos sinais de trânsito com uma combinação de fotometria de ondas múltiplas, espectroscopia de alta resolução e imagem angular de alta resolução”, explicaram os autores.

O TOI-530b é um exoplaneta com raio equivalente a cerca de 0,83 o de Júpiter, enquanto sua massa chega a 0,4 massas do gigante gasoso do Sistema Solar. Segundo os autores, o planeta orbita sua estrela-mãe a cada 6,38 dias, à distância de 0,052 unidades astronômicas, e a temperatura por lá é de 565 K. Já a estrela TOI-530 é uma anã do tipo M, que tem cerca de metade do tamanho e massa do Sol e temperatura de 3,659 K. O sistema fica a aproximadamente 481,5 anos-luz da Terra, mas os autores observam que o planeta não seria exatamente um objeto promissor para estudos futuros de composição atmosférica.

Isso porque a estrela do sistema tem brilho fraco e, por isso, seria pouco acessível para a espectroscopia em solo — mas, por outro lado, o planeta pode fornecer informações valiosas sobre sua formação. “O TOI-530b é o sexto planeta gigante em trânsito hospedado por uma estrela do tipo M, algo considerado pouco frequente segundo a teoria do núcleo de acreção, tornando-se um objeto valioso para outros estudos da história de formação e migração de planetas semelhantes”, explicaram. Por fim, eles sugerem observações futuras do sistema para identificar melhor sobre suas propriedades. 

O artigo com os resultados do estudo foi publicado no repositório online arXiv, ainda sem revisão de pares. 

Fonte: Phys.org

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.