De quem é a Lua? Empresa planeja explorar e vender rochas lunares

Por Redação | 13 de Julho de 2017 às 17h01
photo_camera NASA

Se depender da Moon Express, a mineração na Lua vai ter início em 2020. De acordo com as informações, a empresa privada, localizada na Flórida, Estados Unidos, arrecadou mais de US$ 45 milhões em financiamento para realizar três expedições que culminarão em uma missão para explorar as rochas lunares e trazê-las para a Terra.

Com a ajuda dos MX Robotic Explorers, a Moon Expressa deverá criar uma frota de robôs para explorar e transportar materiais da Lua, com o objetivo final de manter robôs permanentemente no satélite para explorar seu solo. A ideia do projeto é que as amostras lunares sejam utilizadas para pesquisa científica e para a venda para colecionadores e outras empresas privadas. "Estamos ansiosos para abrir a oportunidade para todos terem rochas lunares", disse Bob Richards, executivo-chefe da Moon Express, em entrevista coletiva na última quarta-feira (13).

O fato é que, como as leis que regem o uso de recursos espaciais ainda são vagas, uma missão com foco em lucros desse tipo pode causar controvérsia internacional. "É algo que está sendo discutido internacionalmente, mas não há uma resposta acordada, e não tenho certeza de que haverá", revelou Henry Hertzfeld, especialista do Space Policy Institute, em Washington.

Vale lembrar que as amostras lunares de todas as missões anteriores dos EUA pertencem ao governo. No entanto, a Lei de Competitividade e Empreendedorismo Privado (SPACE), de 2018, incentiva a exploração comercial de recursos no espaço, desde que não sejam seres vivos. Isso significa que, se a Moon Express encontrar alienígenas, não poderá vendê-los, mas minerais e água, ao que tudo indica, poderão ser comercializados.

Seja como for, esta é a primeira vez que a companhia revela detalhes sobre os seus planos. Segundo os dados, o trabalho será iniciado com o MX-1E, um robô com capacidade de transporte de quase 30 quilos. Além disso, a máquina será capaz de percorrer a superfície da Lua de forma autônoma.

O MX-1E será lançado ao espaço no foguete Electron, da Rocket Lab, para concorrer ao Google Lunar X Prize, competição internacional que desafia os participantes a levarem um robô privado pela primeira vez para a Lua. "Nós temos muito o que fazer em um período de tempo muito curto, e a Rocket Lab tem muito o que fazer em um período de tempo muito curto", completou Richards.

No total, a empresa paneja levar, pelo menos, três robôs diferentes, todos equipados com tecnologia para extrair água/gelo no Polo Sul do satélite. A primeira máquina ainda está sendo desenvolvida, mas a expectativa é de que ela fique pronta ainda neste ano.

Fonte: New Scientist

Fique por dentro do mundo da tecnologia!

Inscreva-se em nossa newsletter e receba diariamente as notícias por e-mail.